<%@LANGUAGE="JAVASCRIPT" CODEPAGE="1252"%> AOMS
Mapa do Site:
Colaboradores
 
 

Receitas caseiras para controle de pragas.

 

Aprenda a combater pragas e doenças com receitas naturais, que não prejudicam o meio ambiente.


Para,resistir ao ataque de pulgões, cochonilhas, lagartas, formigas e outras pragas e doenças, as plantas precisam estar saudáveis, com a imunidade em alta. Nesta época do ano, o aumento da temperatura é um fator de desequilíbrio, que pode afetar a saúde do jardim e das espécies cultivadas dentro de casa. "O clima quente faz com que os insetos se desenvolvam e se reproduzam mais rapidamente. O calor também deixa as plantas vulneráveis e, por isso, elas precisam ser observadas com maior atenção", explica a professora Vanda Bueno, do departamento de controle biológico de pragas da Universidade Federal de Lavras, MG. Adepta das receitas naturais para combater as infestações, a professora lembra que mantemos um contato muito próximo com as espécies de casa. Portanto, é melhor evitar tratá-las com produtos nocivos à saúde. "Ao tocar as folhas e cheirar as flores, corremos o risco de absorver resíduos de inseticidas pesados". Para as plantas, também há prejuízos. "Além de desequilibrar o ecossistema, as substâncias químicas favorecem o aparecimento de novas pragas e doenças", afirma.


AVAL DA CIÊNCIA


Algumas fórmulas caseiras antipragas fazem parte da sabedoria popular e são comumente empregadas por paisagistas e jardineiros (veja as receitas no quadro à direita). A novidade é que existem pesquisadores empenhados em provar cientificamente a eficácia dos defensivos naturais. "Estamos estudando uma série de combinações e, à medida que elas forem aprovadas, divulgaremos para a população", diz o biólogo Francisco Zorzenon, do Instituto Biológico do Estado de São Paulo.

Como fazer?


Entre os ingredientes que já têm o aval da equipe do pesquisador, estão cravo-da-índia, pó de café, pimenta-do-reino e alho fresco. Coloque 50 g de qualquer um deles de molho em 450 ml de água por 24 horas. Coe em peneira fina ou papelfiltro e você terá um extrato contra pulgões.

CURA RÁPIDA


A primeira vez que a arquiteta e paisagista Aline Najar recorreu a uma fórmula natural foi para tratar uma jabuticabeira de 4 m de altura tomada pelo fungo conhecido como algodão. "Ele deixa uma espécie de teia pelos galhos", diz. Para esse caso, a profissional preparou uma calda de sabão de coco. "Retirei o excesso do fungo com um pincel seco e depois passei o preparado, deixando secar naturalmente. Em quatro dias, a planta ficou curada", diz. Em outra ocasião, uma macieira com a doença ferrugem e infestada de lagartas foi tratada com extrato de alho. Levou uma semana para a frutífera recuperar o viço. Gardênias que estavam perdendo as flores devido aos ácaros foram salvas pela calda de fumo, enquanto um jardim recém-plantado ficou livre de moscas brancas com a constante pulverização de chá de hortelã. "Sempre que adoto defensivos naturais, o resultado é a total recuperação das espécies". A paisagista lembra ainda que doenças e pragas só atacam as plantas quando elas estão debilitadas devido ao excesso de calor ou de umidade, à falta de nutrientes no solo e à ventilação insuficiente.

DICAS PARA QUE AS FÓRMULAS DÊEM CERTO.


• Sigas as receitas corretamente
• Coe bem os preparados para não entupir o pulverizador
• Os ingredientes naturais são voláteis, ou seja,se perdem rapidamente. Portanto, é fazer e usar.
• As aplicações têm que ser persistentes.Pulverize dia sim, dia não e, se a infestação for intensa, duas vezes ao dia.
• Quando a planta melhorar, dê um intervalo de 15 dias e volte a empregar a fórmula como medida de manutenção.


PRINCIPAIS PRAGAS


Aprenda a reconhecer os bichinhos que fazem estragos no jardim. Eles se alimentam de folhagens e flores e sugam a seiva das espécies. Folhas deformadas e manchadas também são um sinal de alerta.


SAUVA


Nem todas as espécies de formiga atacam as plantas. Antes de eliminá-las, observe se elas voltam ao formigueiro com folhas cortadas. As saúvas estão entre as mais agressivas.


PULGAO.


Existem diversas variedades do inseto, nas cores preta, branca e verde, mas, em geral, ele mede 1,5 mm e pode ter asas. Acomoda-se principalmente no verso das folhas.


COCHONILLA


Há dois tipos. A sem carapaça deixa uma secreção esbranquiçada, semelhante a um chumaço de algodão. O bichinho com carapaça traz riscos ou bolas cortadas no corpo.

LAGARTA


Devora folhas e flores, abrindo um caminho parecido com um túnel. Antes do tratamento, deve-se podar as partes afetadas e destruir o ninho. Use luvas na operação.

 

Nim (Azadirachta indica)

Fonte:

Manual de horticultura orgânica / Jacimar Luis de Souza. - 2.ed. atual. e ampl. - Viçosa, MG: Aprenda Fácil, 2006.

O principal princípio ativo é a Azadirachtina. Atualmente, registra-se que mais de 418 espécies de pragas, que ocorrem em vários países, são afetadas pelos extratos de Nim. Para redução de custos, o agricultor pode plantar a árvore em sua propriedade e obter esse insumo o ano inteiro. Já existem produtos comercias disponíveis no mercado.

Mode de Ação

Inseticida, fungicida, nematostático, inibidor de crescimento, inibidor de ingestão por lagartas e larvas de insetos.

  • 5 Kg de sementes secas e moídas
  • 5 L de água
  • 10 g de sabão
  • Colocar 5 Kg de sementes de Nim moídas em um saco de pano, amarrar e colocar em 5L de água. Depois de 12H, espremer e dissolver 10g de sabão neste extrato. Misturar bem e acrescentar água para obter 500 L de preparado. Aplicar sobre as plantas infestadas, imediatamente após preparar.

 

 

 

Extrato de alho

Fonte:

Manual de horticultura orgânica / Jacimar Luis de Souza. - 2.ed. atual. e ampl. - Viçosa, MG: Aprenda Fácil, 2006.

  • 1 pedaço de sabão de coco
  • 4 L de água quente
  • 2 cabeças de alho finamente picadas
  • 4 colheres pequenas de pimenta vermelha picada
  • Dissolver um pedaço de sabão do tamanho de um polegar (50g) em 4 L de água. Juntar 2 cabeças picadas de alho e 4 colheres de pimenta vermelha picada. Coar com pano fino e aplicar.
  • Indicações: Repelente de insetos, bactérias, fungos, nemátóides e inibidor de digestão de insetos.

 

Extrato de pimenta do reino, alho e sabão


• 100 g de pimenta do reino
• 2 L de álcool
• 100 g de alho
• 50 g de sabão neutro

Prepara-se uma garrafa com 100 g de pimenta do reino e 1 L de álcool. Deixar por uma semana. Ao mesmo tempo, fazer outra garrafa com 100 g de alho e 1 L de álcool. Passada esta semana, dissolver 50 g de sabão neutro em 1 L de água quente. Apenas na hora de aplicação, juntar as três partes na seguinte proporção: 200 ml da garrafada de pimenta + 100 ml de garrafada de alho e toda solução de sabão podem ser diluídos em 20 L de água (um pulverizador costal).
A aplicação deve ser feita nas horas mais frescas do dia.
Indicação
Pragas da batatinha, tomate, pimentão e berinjela.

Parceiros

Ensino Superior na Fatec Internacional.
Promoção Imperdivel

 
Blog's
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Direitos reservados a AOMS.©