<%@LANGUAGE="JAVASCRIPT" CODEPAGE="1252"%> AOMS
Mapa do Site:
Colaboradores
 
 

Dicionário Ecológico

Abdome: Parte do tronco dos animais e do homem entre o tórax e a bacia. Também chamado de abdômen, pança, pandulha, ventrulho e panturra.

Abiogênese: Teria que se tinha no passado, de que a matéria morta podia dar origem a organismos vivos, como a água parada fazia surgir (do nada) larvas de mosquitos.

Aborto: Ação ou efeito de abortar, que é dar à luz da viabilidade do nascituro. No ser humano é interpretado mais como anular o desenvolvimento do feto antes do seu completo desenvolvimento. Os abortos feitos no ser humano hoje, atingem números mais do que alarmantes.

Aclimatação: Colocação de uma espécie animal ou vegetal em ambientes fora do seu habitat.

Adubo: Ingrediente orgânico (de vegetal ou animal) que garantem elementos nutritivos para o desenvolvimento de plantas. Também corrigem as características físicas e químicas do solo. O adubo também pode ter origem mineral.

Acácia: Nome que se dá para diversas árvores da família Mimosáceas, presentes em todo mundo. No Brasil existem várias espécies, onde uma das mais conhecidas é a acácia-monjolo.

Aerobiose: Processo comum à maioria das espécies que utilizam o oxigênio (livre ou dissolvido na água) como fonte de energia e como receptor final do hidrogênio. O inverso é Anaerobiose, que é a vida sem oxigênio, encontrado em raras espécies como a bactéria do tétano.

Aerossol: Conjunto de gotículas que escapam da lei gravitacional, com tendência a se elevarem para a atmosfera. Como exemplo o smog (camada de poluição estacionada sobre a cidade).

África: Nome de um dos continentes com grande variedade de ecossistemas e espécies de mamíferos de grande porte. Pelo tanto que a palavra “áfrica” significa “animais” em uma das muitas línguas indígenas faladas no continente. A maioria constituída de países pobres, sendo o ecoturismo uma das principais fontes de renda destes países.


Agenda 21: Programa de ações previstas para o século 21 visando promover o desenvolvimento sustentável em escala planetária, tentando conciliar desenvolvimento com preservação ambiental. Foi criado na Conferência sobre meio ambiente e desenvolvimento no Rio em 92, tendo como base o desenvolvimento sustentável.

Agricultura: É a cultura no solo. Se não for bem conduzida pode ocasionar sérios danos ao meio ambiente, como a destruição de florestas, cultivo em solos impróprios e outros. Pode ocasionar acidificação, salinização e desertificação. A ciência que estuda a agricultura é a agronomia.

Agrofloresta: Novo termo adotado para um manejo do solo que consite em plantar várias espécies diferentes de plantas juntas, estas com alturas diferentes, com a finalidade de proteger uma as outras das intempéries, sol e de pragas. Ao mesmo tempo, suas folhas não são retiradas do solo, e ficam para darem mais fertilização. A agrofloresta vem sendo usada principalmente na recuperação de solos degradados em fazendas, com ótimos resultados. Também conhecida por floresta de andares, pois começam desde as plantas arbustivas, passando por árvores frutíferas até as grandes árvores selvagens.

Água: Líquido incolor e inodoro, composto de oxigênio e hidrogênio. Na natureza podemos encontrá-la em estado líquido, sólido e gasoso. E na classificação, pode ser encontrada como doce, salobra e salgada. No mundo contem 99,35% de água salgada, contra 21,5% de gelo e apenas 0,68% de água doce. A tendência do século 21 é a escassez cada vez maior de água, daí a preocupação com os mananciais em todos países. O Brasil possui 11,6% de água doce do mundo e o maior reservatório de água subterrâneo do mundo, que é o Sistema Aqüífero Guarani. Combate contra o desperdício e à poluição estão sendo investidos em todo mundo. Como exemplo no Brasil se desperdiça 40% de água utilizada. O dia mundial da água é 22/03.

Albedo: Reflexão da luz solar. Como exemplo, quando o sol vai se pondo, reflete sua luz numa grande nuvem no lado oposto, dando por vezes ilusão que o sol está por detrás desta nuvem.

Álcool: Substância orgânica, líquida e inflamável, obtida por destilação de certos produtos fermentados; aguardente retificada; é uma das funções fundamentais da química orgânica.


Alergia: Hipersensibilidade a determinadas substâncias e agentes físicos. Quando modifica o meio ambiente, fica propício à criação de mais alérgenos, que são substâncias causadores de alergias, que se multiplicam cada vez mais.

Alga: Vegetal talófito, geralmente clorofilado. Tem dimensões muito variáveis, sendo desde alguns microns até talos de 300 m. Existem as fluviais e marinhas.

Altitude: Altura ou elevação vertical acima do nível dos mares.

Alumínio: Metal razoavelmente abundante no mundo e extraído da bauxita. A maior parte presente em países tropicais, cujo processo de extração é caro, trabalhoso e sujeito à poluição. Possui larga aplicação industrial, como na fabricação de aviões por ser leve. Uma das grandes vantagens do alumínio, é por ser reciclável.

Amazônia: Região setentrional da América do Sul, situada na bacia do Rio Amazonas, que inclui a maior parte dos países sul-americanos, destacando o Brasil. É a maior área de selva do mundo, com milhares de espécies animais e vegetais. O desmatamento da região para aproveitamento da madeira e dar lugar para pecuária e plantações, tem preocupado o mundo todo, e os números são preocupantes, onde no Brasil foi o país que mais desmatou, onde até 2.007, haviam sido perdidos 700 mil km2 de área, o que equivale quase todo o nordeste!

Ameaçado de extinção: Significa que não entrou no processo de extinção, mas está perto de ocorrer. Geralmente é pelo uso abusivo dos recursos naturais. Atualmente são muito as espécies vegetais e animais que ficaram ameaçadas pelo homem, e a lista não pára de aumentar. Como exemplo, devido à pesca marinha indiscriminada, já foram feitos estudos em 2.006, que terão usufruto para o homem somente mais 40 anos e onde 27% dos peixes já estão ameaçados de extinção.

América: Nome do segundo maior continente, que começa no Canadá e termina na Argentina. Está dividido em três regiões: América do Norte, Central e Sul. Seu nome deriva de Colombo ter dado em homenagem ao Américo Vespúcio.

Amianto: Mineral silicato e fibroso e extraído da terra. Misturado com outros materiais como o cimento, é usado na fabricação de telhas e outros materiais. Entretanto as fibras microscópicas do amianto são danosas ao homem, onde pode causar doenças como a asbestose.

Anatídeos: Família (Ana em grego significa pato) de aves da ordem dos Anseriformes, sendo todas semi-aquícolas. São desde os marrecos, passando pelos patos, mergansos, gansos até os cisnes, num total de 147 espécies pelo mundo. No Brasil há representantes de todos estes, num total de 20 espécies, sendo a maioria em patos selvagens.

Andes: Nome que se dá para a principal e maior cordilheira da América do Sul, que se estende do Mar do Caribe até as terras desertas da Patagônia. As maiores montanhas possuem mais de 6 mil m de altitude.

Androceu: Órgão masculino das plantas.

Anelídeos: São animais do filo Annelida. Tem corpo cilíndrico; dividido em muitos segmentos ou “anéis” (daí seu nome); cerdas chamadas chaetae projetam-se do lado do corpo, exceto nas sanguessugas, que tem ventosas na frente e atrás. Estes animais colonizaram os vários tipos de habitats.
São divididos nas classes:
Oligochaeta : minhocas e oligoquetos marinhos.
Polychaeta : vermes marinhos.
Hirudínea : sanguessugas

Anfíbio: Classe animal cujo termo vem do grego que significa “duas vidas”. Estes vertebrados tem como característica mais marcante no seu ciclo de vida dividido em duas fases: uma aquática e outra terrestre. Quando jovens, os anfíbios vivem exclusivamente em ambiente aquático dulcícola, e sua estrutura corpórea é semelhante a de um alevino, realizando respiração branquial. Contudo existem anfíbios que levam toda a vida na água e outros que, tendo desenvolvimento direto (em que não há o estágio larvar e dos ovos nascem “miniaturas dos adultos”), nunca habitam a água. Possuem pele lisa, sem escamas; ovos gelatinosos e suas larvas aquáticas são chamados girinos; quatro membros com pés palmados, exceto os ápodes.
Em ordens são divididos em:
Anuros (Anura) : sapos, rãs e pererecas.
Urodelos (Urodela) : salamandras e tritões (salamandras aquáticas).
Ápodes (Apoda) : cecílias.
Os anfíbios estão divididos em 3.000 espécies pelo mundo e estão hoje entre os animais mais ameaçados de extinção.

Angiospermo: Que tem as sementes revestidas por pericarpo distinto.

Anuro: Animal pertencente à subclasse Anura, que são os sapos, pererecas e rãs.

Antártida: Localizado no pólo sul, tem o tamanho da metade dos EUA, correspondendo por 10% da superfície terrestre. Com 3 km de espessura, contem 70% das reservas de água doce do mundo. O Tratado da Antártida (criado em 1.959) estabelece a qualidade especial do seu território reservado somente para fins pacíficos e para investigações científicas, do qual o Brasil é um dos signatários. O oposto da Antártida é o Ártico que fica no pólo norte, que ao contrário daquele, não é uma maciça calota polar.

Área de preservação: É toda área a ser preservada que pode ser em variados locais. Em fazendas no país, 20% da área total por norma, tem que ser preservada. Na Amazônia são 40%.

Areia: Grãos não consolidados de minerais, geralmente de quartzo, visíveis à olho nu e cujo diâmetro não excedem dois milímetros. Na construção civil é muito utilizado a areia de leito dos rios. A areia de praia é proibitiva pois oxida as ferragens das estruturas.

APA: Área de Proteção Ambiental. É uma área extensa, dotada de atributos abióticos, bióticos, estéticos ou culturais. Tem como objetivos básicos proteger a diversidade biológica, disciplinar o processo de ocupação e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais.

Aquecimento global: É o mais novo, preocupante e mais sério problema mundial. Resultado do excesso de poluição na atmosfera que está fazendo aquecer a temperatura em todo mundo, como também desmatamentos desenfreados e ainda outros problemas. É o resultado também do descaso dos governos em sanar seus problemas, como também a própria população. Os efeitos já se fazem sentir no aumento da temperatura, degelo das geleiras e nos pólos, aumento no nível dos mares, aumento de seca, aumento dos tufões e maremotos, mortandade de pessoas, animais e plantas. Os EUA é responsável por ¼ da poluição no planeta e este e outros países se recusam em reduzirem seus poluentes na atmosfera temendo afetar a economia. A China é hoje o maior poluidor do planeta. Praticamente sinônimo de Efeito estufa, o aquecimento global tem mobilizado a maioria dos países em tomar providências, que se efetivou mais a partir de 2.006.

Aquícola: Animal que vive no meio aquático. Ex: manatim.

Aracnídeo: Animal pertencente à classe Arachnida. Possuem quatro pares de pernas; corpo usualmente em duas partes; esqueleto duro externo; mandíbulas com presas. Com as ordens Araneae (aranhas), Opiliones (opiliões), Scorpiones (escorpiões) e Acarina (carrapatos, percevejos e ácaros). São cerca de 60.000 espécies pelo mundo.

Arborícola: Animal adaptado a viver nas árvores. Ex: bugio.

Arbusto: Plantas que possuem porte bem menor que as árvores, onde a grande maioria não ultrapassa os 3 m. Algumas poucas chegam a ter a altura de árvores medianas. A estrutura é lenhosa, semi-lenhosa ou herbácea. De galhos encorpados e rijos, por vezes é semelhante a de árvores, mas alem do porte, os arbustos diferenciam-se por apresentarem muitas vezes, vários troncos iguais, sem haver um dominante como as árvores. Sem contar que as trepadeiras também são arbustos e são chamados de escandentes. Os arbustos como as árvores, também são fontes de alimento para animais e para o próprio homem, que também usa até como planta ornamental. O diminutivo se diz arbúsculo ou arbustinho.

Área: Medida de superfície; Espaço delimitado.

Área core: Refere-se a parte central ou nuclear da área de vida de um determinado organismo.

Área de uso: Área ocupada por um organismo em sua atividade como alimento e reprodução.

Área protegida: Área pública ou privada destinada à conservação dos ambientes naturais.

Arilo: Membrana que envolve a superfície de uma semente.

Artiodátilo: Ordem de mamíferos que possuem número de dedos pares, do qual compõem a maioria dos herbívoros, como os cervídeos, suídeos, bovídeos e afins.

Árvore: Grande vegetal lenhoso, de tronco e com ramos e folhas. Geralmente com acima de 5 m. Tratado na ecologia como “indivíduo”, exerce verdadeiro domínio ecológico ao redor de si: suas raízes drenam o solo, suas folhas absorvem a luz solar e uma série de animais e até vegetais dependem de seu abrigo. Quando se corta uma árvore, e parte do caule fica viva com as raízes no solo, se diz touceira. O dia da árvore é comemorado no dia 21/09.

Assoreamento: Obstrução do leito de um rio ou lago por deposição de areia, lama ou pedras, que ocorre em conseqüência da erosão causada geralmente pela destruição da vegetação nas margens.

Atmosfera: É a camada de ar que envolve o planeta e dividida em camadas (Troposfera, Estratosfera, Mesosfera, Termosfera e Exosfera). No total são até 800 km da superfície.

Atol: Nome dado a recifes de corais mais ou menos circulares, que com o tempo se transformam em ilhas pelo desaparecimento da laguna central. O mesmo que recifes circulares.

Autoecologia: É análise da relação de uma espécie animal ou vegetal com o seu meio ambiente. Tem grande valia na tentativa de recuperação das espécies ameaçadas de extinção.

Autótrofos: A cadeia trófica (do grego thophos : alimento) ou cadeia alimentar é formada por dois tipos de organismos vivos: Antótrofos e Heterótrofos. No caso dos autótrofos, produzem o próprio alimento como as plantas, algas e fitoplânctons marinhos.

Ave: Classe animal formado por animais vertebrados. São de sangue quente; pele com penas (exceto pernas que tem escamas córneas) ; par dianteiro de membros transformados em asas; botam grandes ovos com cascas gredosas. Bico córneo e ossos pneumáticos. Existem aproximadamente 9.000 espécies pelo mundo. As espécies pequenas são chamados de pássaros. Uma das maiores aves voadoras é o albatroz, que tem envergadura de 3,50 m. O maior representante dentre todas é o avestruz e o menor sendo o colibri-de-topetinho-vermelho.
Em ordens são divididos em:
Estrutioniformes: avestruz
Reiformes: ema
Casuariformes: meu e casuar.
Ciconiformes: cegonhas, íbis, garças e jaburus.
Galiformes: galos, jacus, mutuns, peru, faisões e outros.
Anseriformes: patos, mergansos, gansos e cisnes.
Falconiformes: águias, falcões, milhafres, açores, francelhos, urubus e condores.
Psitaciformes: periquitos, papagaios, cacatuas e araras.
Fenicopteriformes: flamingos
Pelecaniformes: pelicanos, cormorões, atobás e outros.
Podicipediformes: mergulhões
Gaviformes: megulhões do hemisfério norte.
Estrigiformes: corujas, mochos e suindaras.
Procelariformes: procelárias e pardelas.
Gruiformes: grous, seriemas, saracuras, carões, jacamins e pavão-do-Pará.
Piciformes: pica-paus e tucanos.
Pteroclidiformes: aves dos Andes.
Esfenisciformes: pingüins
Caradriformes: alcas, gaivotas, maçaricos, batuíras, narcejas, trinta-réis e outras.
Tinamiformes: macucos, perdizes e codornas.
Apterigiformes: quiuí
Caprimulgiformes: urutaus e curiangos
Columbiformes: pombos
Cucoliformes: cucos, anus, chincoãs, sacis e outros.
Passeriformes: pássaros e passarinhos como tisil, pardal, saíra, etc...
Apodiformes: colibris

Bactéria: Microrganismo unicelular, micróbio que constitui o primeiro grupo da escala vegetal. Estão no ar, no solo, nas águas, dentro dos seres vivos e principalmente nos excrementos e cadáveres, garantindo a sua decomposição em elementos químicos. As bactérias exercem importante papel de decompositores da biosfera.

Bando misto: Grupo de animais formado por indivíduos de diferentes espécies.

Baobá: Árvore da família Bombacáceas, considerada como sendo a que apresenta o maior diâmetro de tronco dentre todas as árvores, apesar de não ser a mais alta. É nativa da África. De mesma família e nativa do Brasil são as paineiras.

Benzeno: Líquido volátil e altamente inflamável, derivado do carvão. Usado como solvente industrial na fabricação de tintas e vernizes. Extremamente tóxico em doses concentradas. O nome comercial do benzeno é a benzina, substância líquida e volátil, produto de destilação do petróleo, usado para limpar tintas e tirar nódoas.

Benzopireno: Presente nos escapamentos dos motores movidos a diesel. É um perigoso hidrocarburante policíclico, produzido a partir de combustões incompletas. Também pode resultar da combustão do tabaco, como o mais prejudicial dos alcatrões.

Bertioga: Canal de mar que entra pela terra; Estreito.

Betume: Substância natural escura, pegajosa e inflamável, constituída por hidrocarbonetos naturais.

Bioampliação: Uma sustância poluente quando entra na cadeia alimentar de um ecossistema, apresenta um acréscimo vertiginoso da mesma substância à medida que é ingerida pelos diversos elos. Acontece na incapacidade de digestão da substância que vai se acumulando ao longo da cadeia. O último consumidor pode estar 2 mil vezes mais concentrada.

Biodiesel: É um combustível obtido principalmente de girassol, amendoim, mamona, soja, dendê e ainda outros. A União Européia lidera no mundo a produção de biodiesel, com mais de 1,7 bilhões de litros em 2.003.

Biodiversidade: Variedade dos componentes biológicos da natureza. A biodiversidade de uma região compreende o total de genes, espécies, populações e ecossistemas nela contidos. O mesmo que microorganismos, cogumelos, plantas e animais. O total aproximado pode ser mais de 14 milhões de espécies no mundo.

Biogênese: Teoria segundo a qual todo o organismo vivo provém de outro organismo vivo.

Biogeografia: Estudo da distribuição geográfica dos organismos.

Bioindicador: Os indicadores biológicos ou bioindicadores são as espécies animais ou vegetais que indicam precocemente a existência de modificações bióticas (orgânicas) e abióticas (físico/químicas).

Bioma: Conjunto de ecossistemas caracterizado por tipos semelhantes de vegetação, com uma comunidade biológica própria, condicionado pelo clima e solo. No Brasil são como exemplo o cerrado, caatinga e floresta tropical.

Biomassa: Quantidade de matéria orgânica, expressa em peso. É uma medida geralmente utilizada por unidade de área.

Biometria: Parte da ciência que estuda a mensuração dos seres vivos.

Biopsia: Erroneamente pronunciada como “biópsia”, é a retirada de um fragmento de tecido de um ser vivo a fim de se verificar a natureza das alterações nele existentes. O mesmo que biopse.

Biosfera: É o conjunto das regiões da Terra onde a vida é possível em caráter permanente.

Biota: Conjunto de seres vivos de uma determinada região. Também chamado de biocenose.

Biotério: Lugar onde se conservam animais vivos para experiências de laboratório.

Biótopo: Do grego topos, lugar. É o lugar onde vive a biocenose.

Biótipo: Conjunto de características fundamentais comuns ou semelhantes de uma série de indivíduos.

Bípede: Que anda e se sustenta em duas pernas. Como exemplo a ema e o próprio homem.

Bocage: Campos cultivados na Europa que são separados por capões, bosques ou cercas vivas.

Botânica: Ciência que estuda os vegetais.

Botrópico: Nome que se dá ao soro antiofídico para as cobras peçonhentas do gênero Bothrops, que são as jararacas, cotiaras, jararacuçu e urutu.

Brânquia: Órgão respiratório dos vários animais aquáticos. Também conhecido por guelra.

Brejo: Pequeno pântano; Charco.

Bromélia: Planta da família Bromeliaceae, à qual pertence como exemplo o abacaxi.

Brasil: País do continente americano que é o quinto do mundo em área.

Bugre: Homem branco que vive no meio selvagem como índio. O bugre que vive no litoral se dá o nome de caiçara.

Burro: Nome que se dá ao resultado do cruzamento do jumento (ou asno) com a égua, ou cavalo com a jumenta. O mesmo é híbrido. A fêmea é a besta. Também conhecido por mulo e a fêmea por mula.

Bússola: Instrumento utilizado em navegação. É constituído de uma leve barra de aço imantada suportada livremente por um eixo no centro. Este tipo de bússola funciona dentro de uma câmara cheia de um líquido que poderá ser um bom querosene ou xilene. Na janela da bússola há um filete no sentido vertical que serve como ponto referencial de indicação de direções, chamado Linha de Fé; Se destina a indicar direções magnéticas. Toda bússola está orientada para o pólo norte magnético. O chamado Desvio de bússola, é quando um metal próximo faz dar diferenças e erros de leitura.

Caatinga: Vegetação típica do nordeste brasileiro, constituída por árvores pequenas, geralmente espinhosas, que perdem as folhas durante a seca. Ficam então com galhos numa aparência esbranquiçada. É a forma que encontraram para diminuir a transpiração e assim perder menos água. Não morrem durante a seca, onde estas árvores apenas “adormecem”, esperando o próximo verão com as chuvas, do qual se esverdeam novamente. A caatinga aparenta ser uma área inóspita, mas pelo contrário, há muitas espécies de animais e árvores frutíferas. Este bioma compreende 11% do território nacional e 70% do nordeste. Caatinga vem do termo indígena tupi que significa “mata branca”.

Caça: Uma perseguição que geralmente se dá no abate do perseguido. Na natureza é algo comum entre predador e presa. No caso do homem, prática que existe desde a pré-história que era também para fazer dos animais como alimento. A caça pode ser também por comércio e por esporte. Geralmente a caça elaborada pelo homem, sempre foi daninha aos animais e há vários casos de deixarem várias espécies à beira da extinção e outros completamente extintos. Na maior parte dos países a caça é proibida. Atualmente só é permitida para animais criados especialmente para este fim ou para com espécies exóticas.

Cadeia alimentar: Também conhecida por cadeia trófica (do grego thophos : alimento). Os vegetais são a base da cadeia alimentar e sem eles não é possível a vida dos outros elos das cadeias.

Cadeia trófica: Relação de transferência de energia através da alimentação entre os organismos que compõem um ecossistema.

Cádmio: Metal de cor prateada, muito tóxico, seja em forma de sais ou vapores (gases). É um subproduto de metalurgia do zinco e é utilizado nas indústrias elétricas e eletrônicas.

Caducifólia: Árvore que perde as folhas no inverno (em regiões temperadas) ou na estação das secas (nos trópicos). As florestas caducifólias se espalham tanto pelos EUA e Canadá como também no continente europeu, atingindo a Rússia.

Camada de Ozônio: Nome que se dá a uma faixa azulada que envolve a Terra. Esta é capaz de absorver os raios ultravioletas. O ozônio é um tipo de oxigênio com estrutura molecular diversa. Esta camada que envolve a Terra tem de 15 a 50 km.

Campo: Ecossistema formado por gramíneas, arbustos e com poucas árvores. Presentes em todo mundo, no Brasil estão mais localizados na região sul. Sua fauna pode ser pouco ou muito abundante, dependendo do continente e clima. Muitas destas áreas foram transformadas em plantações pelo homem.

Campo alagado: Ecossistema constituído num ambiente que predominam gramíneas e plantas aquáticas, podendo ocorrer moitas de certos arbustos. Por ser farto de alimento aquático, a fauna deste ambiente é destacada. A Estação Ecológica do Banhado do Taim – RS é um exemplo clássico.

Campo limpo: Nome que se dá ao ecossistema brasileiro onde a vegetação predominante não apresenta árvores ou arbustos, sendo constituído essencialmente de formas herbáceas e subarbustivas. No RS estão boa parte desta vegetação no Brasil.

Camuflagem: Palavra que é uma adaptação do francês camouflage que significa dissimulação. É um meio que os animais criaram como maneira de se confundir no ambiente para não ser visto, por intermédio de suas cores. Foi copiado por meios militares de todo mundo onde o exemplo mais clássico é o verde no exército para se confundirem com as matas e florestas.

Cana-de-açucar: Planta de origem indiana, largamente aplicada em várias partes do mundo, sendo o Brasil um dos destaques, onde a área plantada é equivalente a metade da área do estado de PB. No país, é o terceiro item na agricultura na exportação, onde boa parte está plantada em SP e já é o maior produtor mundial. Alem da principal aplicação que é do açúcar, também tem de onde se pode tirar o álcool.

Câncer: Tumor maligno ocasionado nas mais diversas formas. Na questão ecológica, pode ter origem na poluição, dos alimentos, atividades profissionais e radiação. Pela poluição se tem o benzopireno ou aldeídos (também presentes na fumaça de cigarro); na alimentação, no corante amarelo de manteiga que foi usado por muito tempo e depois se descobriu que era cancerígeno. Medicamentos como o bismuto foi tirado de circulação pelo mesmo motivo. O cloreto de vinilo usado na fabricação de matérias plásticas, também pode causar sérios riscos aos operários.

Canídeos: Família de mamíferos carnívoros que incluem cães selvagens, lobos e os próprios cães domésticos. As hienas embora muito parecida, pertence a outra família. São 35 espécies espalhadas pelo mundo, onde no Brasil conta com 6 representantes.

Capão: Porção de mato isolado no meio de uma área aberta ou campo.

Capoeira: Porção aberta no mato que foi cortado ou destruído. Também é um pequeno capão criado para que se possa cortar periodicamente a vegetação rasteira para uso doméstico.

Capríneos: Subfamília dos Bovídeos, que compreendem os bodes, carneiro e o muflão. A fêmea do bode é a cabra e do carneiro é a ovelha.

Carapaça: Nome que se dá para a parte superior do casco dos jabutis, cágados e tartarugas.

Carbamato: Designa toda uma família de pesticidas de ação neurotóxica, criados para substituir o DDT na década de 60, quando se provou a violenta ação tóxica desse composto organoclorado.

Cariotípica: Característica de uma espécie que está relacionada ao conjunto de seus cromossomos.

Carnívoro: Animal que se alimenta exclusivamente de carne; Ordem de mamíferos que é subdividida em duas: Fissípedes e Pinípedes. A primeira são os terrícolas que incluem os Felídeos, Canídeos, Ursídeos, Procionídeos, Mustelídeos, Hienídeos e os Viverrídeos. A segunda são aquícolas marinhos que são da Superfamília Pinipédia e está dividida em algumas famílias que são desde as focas pequenas até as focas-elefantes.

Carvão: Combustível fóssil de origem vegetal que apresenta elevado índice de carbono. Assim como o carvão mineral, possuem um alto custo ambiental.

Cáspio: Nome do maior lago do mundo, que pelo tamanho e pela água salobra, ganhou o nome também de mar cáspio. Situa na Ásia entre a Rússia, Azerbaijão, Irão, Turcomenistão e Cazaquistão.

Catarata: Termo que se dá para as grandes cachoeiras ou cascatas em conjunto. As três maiores cataratas do mundo estão em regiões de fronteira, separando dois ou mais países. Duas ficam no continente americano e outra na África:
Na América do Norte existe as Cataratas do Niágara que ficam na fronteira entre os EUA e Canadá, na região dos grandes lagos. Das “três maiores” é a menor. A altura da queda possui 60 metros.
Na África existe as Cataratas de Vitória que fica no sul do continente e próximo da divisa entre Zâmbia e Zimbábue. Tem 60 metros de altura.
Na América do Sul, tem as Cataratas do Iguaçu que faz divisa entre o Brasil, Argentina e Paraguai. As maiores quedas possuem entre 70 e 80 metros. As muitas cascatas, caem numa abertura com 3 km de largura. O nome iguaçu vem do indígena que significa “água grande”.

Cavalo: Um dos mais conhecidos animais domésticos do homem e difundido no mundo todo, desde séculos. As raças domésticas mais comuns são o picaço, que é pardo-escuro com testa ou pés brancos. E também o pampa que tem a cara toda branca ou o corpo malhado. A raça desenvolvida no Brasil é o manga-larga-marchador.

Cavernícola: Significa que vive em cavernas.No caso dos animais são vários que fazem abrigos, tais cavernas e grutas. São classificados em quatro categorias:
Acidentais: Estes caíram ou foram levados acidentalmente para o interior das cavernas, geralmente por águas. Como exemplos, certos sapos.
Trogloxenos: São habitantes ocasionais e vão por uma razão comportamental e por vezes ficam temporariamente. Realizam saídas periódicas para o exterior, como os morcegos.
Troglófilos: São habituados ao habitat subterrâneo, mas que em determinada fase da vida podem viver no ambiente externo, pois não são adaptados de maneira irreversível. Como exemplo alguns grilos.
Troglóbios: São os animais totalmente adaptados para viverem no mundo subterrâneo, e não sobrevivem por muito tempo no ambiente externo da superfíce (hipógeo) e são os cavernícolas autênticos. No Brasil vive o maior troblóbio do mundo que é o bagre-cego.

Cefalópodes: Subgrupo de moluscos, cujo significado é “pés na cabeça”, cujos representantes são os polvos e lulas. Com 650 espécies pelo mundo, sendo todas marinhas.

Centopéias: Animais incluídos em classe distinta, sendo Quilópodes. Tem corpo longo, achatado, segmentado; um único par de pernas articuladas por segmento; cabeça com longas antenas. As centopéias são de movimentação rápida. Caçam ativamente outros pequenos invertebrados, de preferência à noite e em lugares úmidos ou com vegetação em decomposição.Toda centopéia tem na cabeça um par de quelíceras com um canal de peçonha. Praticamente se dividem em centopéias-de-jardins e centopéias-cavadoras, sendo esta última de movimentos lentos. As centopéias são cerca de 1.500 espécies.

Cervídeos: Nome de família de mamíferos que compreendem os veados, gamos e cervos, tendo como maior representante o alce. Com 45 espécies pelo mundo, onde no Brasil conta com 8 representantes.

Cerrado: Um dos mais destacados ecossistemas do Brasil e era conhecido por “gerais”. Ocupa 25% do território brasileiro. Se estende até países do lado sudoeste e lá conhecido por chaco. Faz divisa com outros ambientes, destacando a Amazônia, Caatinga, Pantanal e Mata Atlântica. De área aberta, é caracterizado por árvores espaçadas, baixas, retorcidas, em geral dotadas de casca grossa e cobertura de gramíneas no solo. Na realidade são vários os Cerrados: Os de “campo limpo”, “campo sujo”, “de árvores tortuosas” e os “de buritizais”. Os do primeiro tipo pode-se dizer que é a savana brasileira. Ao contrário do que se pensa, o cerrado é rico em plantas e animais, vários deles únicos. Este bioma vem sendo ameaçado por pastagens, plantações e queimadas. São poucas as áreas de preservação criadas nele. Os que mais se destacam é o Parque Nacional das emas – GO e o Grande sertão veredas – MG/BA. O dia do Cerrado é comemorado em 11/09.

Cetáceos: Ordem de mamíferos aquáticos, que vão desde os botos até as grandes baleias e divididos em várias famílias.

CFC: Sigla para Cloro-Flúor-Carbônico. Gás de vida longa que pode ficar até um século do ar, e chega até a ionosfera. Na ionosfera as moléculas do CFC são afetadas pela grande quantidade de radiação e liberam átomos de cloro que fazem parte de sua estrutura. São esses átomos de cloro, que atacam e destroem as moléculas de ozônio. Um único átomo de cloro, pode destruir dez mil moléculas de ozônio. Assim, com uma camada de ozônio mais fina, os raios ultra-violetas do sol podem adentrar mais na superfície da terra, e ocasionar sérios danos nas plantas, animais e até no homem. Item encontrado nos aerossóis, eletrodomésticos e até em veículos. Apesar dos esforços na redução dos CFCs em vários produtos, ainda assim persiste seu uso em outros.

Chuva Ácida: Poluentes atmosféricos industriais tornam a água da chuva 100 vezes mais ácida do que a água da chuva normal; o ácido sulfúrico, o ácido nitrogênio e o ácido hidroclorídico. Tão ácidas como um suco de limão, estas chuvas são corrosivas como o ácido de uma pilha elétrica. Destrói plantas e animais e corrói até o mármore.

Ciclo hidrológico: Sucessão de fases responsáveis pela circulação de água na natureza. Fazem parte deste ciclo a chuva e a evaporação.

Cinegética: Característica das espécies que sofrem exploração pela caça.

Cisterna: Reservatório de água, geralmente de lençóis de água. Também pode ser de águas pluviais. É uma boa solução para ambientes sujeitos à longos períodos de falta de chuvas; cacimba.

CITES: Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção.

Classe: Grupo de seres vivos composto de certo número de ordens. Várias classes juntas formam um Filo.

Clima: As condições de longa duração do tempo de uma determinada área são conhecidas como clima. As três principais divisões são: tropical, temperada e polar.

Clímax: Etapa final de um povoamento vegetal, geralmente de uma floresta. Nessa etapa, a massa vegetal apresenta um clímax, isto é, cada área de terra suporta a vegetação máxima possível dentro das condições ambientais apresentadas.

CODEMA: Conselho municipal de conservação e Defesa do Meio Ambiente.

Coleoptera: Ordem de insetos à qual pertencem os besouros.

Combustível: O mesmo que combustivo. É o que arde. O exemplo mais primitivo é a lenha, usado na produção de alimentos. Existem em duas categorias, o combustível de origem mineral (petróleo) e o vegetal (de sementes, grãos e outros). Atualmente tem se investido mais no segundo item, por ser bem menos poluente.

Comensal: Termo que descreve espécies que se associam estreitamente sem visível vantagem mútua. Os comensais podem coabitar no mesmo buraco ou concha. A palavra comensal literalmente significa “que come à mesma mesa.”

Competição: Quando dois ou mais indivíduos lutam pelo mesmo bem essencial (alimentação, luz e espaço), eles estão em competição, uma lei básica da natureza. Está presente entre plantas e os animais.

Competição florística: Conjunto de todas as espécies vegetais de uma dada área.

Comunidade: O conjunto de diferentes espécies de plantas e animais que se inter-relacionam e ocupam um mesmo espaço é chamado de comunidade. Uma comunidade simples pode abrigar um pequeno número de espécies, mas numa complexa (um lago como exemplo) pode abrigar centenas delas.

Comunidade tradicional: Populações humanas que vivem há várias gerações em um determinado local, em estreita relação com o ambiente natural, dependendo de seus recursos naturais para sua sobrevivência.

Congenéricas: Espécies que pertencem ao mesmo gênero.

Consangüinidade: Parentesco. Significa também a qualidade do indivíduo cujos pais são parentes. Os efeitos são negativos, onde nos animais ficam mais suscetíveis à doenças ou menos resistentes. No ser humano, pode gerar indivíduos com anomalias e albinos.

Conservation International: Criada em 1.987 nos EUA sendo especialista em realizar projetos de desenvolvimento sustentado em ecossistemas muito ameaçados e que apresentem um alto índice de biodiversidade. Atua em 23 países de 4 continentes, dentre eles o Brasil.

Continente: As grandes massas de terra do mundo, foram divididos no que se denomina continente. São cinco ao todo: América, Europa, África, Ásia e Oceania.

Convergência: Espécies sem parentesco algum podem apresentar semelhanças morfológicas, sendo que a biologia denomina convergência. O mesmo no tocante ao mimetismo. Exemplo são o golfinho que é mamífero e tem forma de um peixe, e insetos que tem mimetismo parecendo répteis.

Coordenada: É a leitura da posição em ângulos na superfície terrestres.

Coral: Animal celenterado fixo e também secreção calcária ramosa, esférica ou tabulada que forma o esqueleto dos pólipos que vivem nas águas quentes do mar. Se assemelham a plantas, pequenas árvores e flores.

Cordão de arrecifes: Série de rochedos litorâneos situados próximos à costa.

Corredor ecológico: É a união por ligação por longos trechos de mata, entre uma área de preservação e outra. Isso permite que as espécies se reproduzam melhor, sem o confinamento de uma única área. No Brasil a meta primária é com a Mata Atlântica, depois com o Cerrado e Amazônia.

Corredor genético: Ambiente que favorece o intercâmbio entre membros de diferentes populações, permitindo o fluxo gênico. Com isso então evita a consangüinidade, o que seria deterioração das espécies.

Costa: O mesmo que litoral. A costa brasileira possui 20 mil km2.

Cotilédone: Folhas embrionárias carregadas de reservas nutritivas que protegem e fornecem alimento ao embrião contido na semente.

Crepúsculo: A luz frouxa que precede o nascer do sol (aurora) e persiste algum tempo depois deste se por.

Cristal: Corpo formado pela solidificação de certas substâncias minerais que foram fundidas tomando formas geométricas. Cristal de rocha: quartzo incolor.

Crustáceos: São animais artrópodes de respiração branquial e classificados como invertebrados. Tem corpo coberto com uma casca dura, quer sob a forma de placas articuladas, quer sob forma de carapaça; Vários pares de pernas articuladas; Dois pares de sensores ou apêndices semelhantes, à frente da boca; corpo dividido em cabeça, tórax e abdome. Estão divididos em cerca de 50.000 espécies pelo mundo. São inúmeras espécies pelo mundo, com espécies marinhas, umas poucas fluviais e raras terrestres. Como exemplo de fluviais, a pulga da água e terrestres o tatuzinho.
Em ordens são divididos em:
Cladoceras: pulgas d’água
Cirripedia: cracas
Branchiura: piolhos-dos-peixes
Isopoda: bichos-de-conta, piolhos-d’água e baratinha-d’água
Amphipoda: pitus e pulgas-do-mar
Decapoda: carangueijos, lagostas, camarões e lagostins

Cupim: Inseto terrícola que faz sua morada na forma de montes de terra e chamados de cupinzeiros. Em certos países é chamado de “formiga branca”, apesar de não ser uma formiga. Está entre os animais eurosociais. Existem espécies que vivem na madeira. São 2.800 espécies pelo mundo. São quatro famílias que vivem no Brasil. Os cumpinzeiros de forma cônica e feitos no solo são chamados de tapicuim.

Curvas de nível: São curvas que mostram ou servem para mostrar as partes mais niveladas dos terrenos irregulares.

DAP: Sigla referente a Diâmetro à Altura do Peito, medida do diâmetro do tronco de árvores à cerca de 1,20 metros de altura.

Darwinismo: Doutrina biológica cuja conclusão extrema é o parentesco fisiológico e a comunhão de origem em todos os seres vivos com a formação de novas espécies por um processo de seleção; Evolucionismo.

DDT: Sigla para dicloro-difenil-tricloroetano. Criado pelo sábio suíço Paul Hermann Mueller. Poderoso inseticida que foi proibido devido a sua ação mutagênica.

Decibel: Unidade de audição. Do nome de Alexander Graham Bell. Exprime a menor intensidade de som em que é possível ouvir-se uma nota.

Declinação: Arco de um círculo máximo da esfera entre a linha do equador e determinado astro.

Declinação magnética: (Dmg) Diferença em graus entre o norte verdadeiro e o norte magnético. Em vários mapas (ou cartas) há indicações das dmg em forma de linhas tracejadas. Entretanto há regiões, que não há declinações magnéticas, que são chamadas linhas agônicas, onde tem valor zero. Já as linhas isogônicas, tem o mesmo valor dmg em toda sua extensão.

Declive: Pendor ou inclinação de terreno, considerando este de cima para baixo; Descida; Declívio. O oposto é aclive.

Degeneração: Na biologia, é a perda de caracteres morfológicos ou fisiológicos.

Dejeto: Ato de evacuar excrementos; Materiais fecais expelidas de uma só vez. Os dejetos humanos e de animais (como os suínos) são tão danosos aos rios e lagos, como os poluentes industriais. Atualmente existem tratamentos nestes dejetos.

Delfim: Cetáceo também conhecido por golfinho-comum.

Demografia: Estudo estatístico das populações, onde são investigadas as taxas de nascimento, mortalidade, bem como o crescimento populacional.

Depressão genética: Redução do valor adaptativo de uma população provocada por fatores genéticos como a consangüinidade.

Derme: A segunda camada de pele; Derma.

Desdentados (ou Edentata): Antigo nome de uma ordem de mamíferos americanos, mais conhecida atualmente por Xenartros. Com três famílias que são os tamanduás, preguiças e tatus.

Desenvolvimento Sustentado (ou Sustentável): É um desenvolvimento “limpo”, sem altos custos ambientais. Antes deste termo, foi alcunhado de ecodesenvolvimento que caiu em desuso.

Desertificação: É uma transformação, geralmente ocasionada pela ação do homem de solos férteis em desertos. A agricultura também pode ocasionar, se feita em locais de florestas de solo pobre e arenoso. O desmatamento e a pecuária intensiva, também são grandes causadores. É mais sujeito em ambientes semi-áridos. Tudo isso geralmente por falta de conhecimentos básicos. Estudiosos dão que 1/3 das terras agriculturáveis do mundo estão em processo de desertificação. No mundo, este problema já afeta mais de 100 países. Geralmente tem começado com os chamados voçorocas, que são grandes aberturas formadas por erosões em áreas montanhosas. No Brasil tem ocorrido em alguns estados do nordeste e no sudeste, este representado por MG. Como exemplo no nordeste a área somada em desertificação, é equivalente ao estado de Sergipe. Uma das soluções para conter o problema é o plantio de árvores próprias para recuperação destas áreas degradadas.

Desfiladeiro: Passagem estreita entre montanhas; Rachão.

Desmatamento: Ato de cortar árvores de matas, florestas e selvas. O desmatamento mal planejado, já foi comprovado que podem ocasionar sérios problemas nas mais diversas formas, como erosão, desertificação, efeito estufa e outros. Feito por comércio, acaba gerando com o tempo problemas sociais, econômicos e até políticos.

Desperdício: É um excesso de qualquer coisa que deveria ser utilizado mas acabou sendo jogado fora. Abrange não só em consumo de alimentos, como também na agricultura, tipos de energia, combustíveis empregados, terras não produtivas e na alimentação altamente calórica. Como exemplos, os campeões de desperdício de água, estão na irrigação feita pela agricultura e na produção de alumínio.

Dia Sideral: Um dia sideral tem uma duração aproximada de 23 horas, 56 minutos e 4 segundos de um dia solar médio. O dia sideral é medido com referência a uma estrela que tem distância indefinida. Quanto Dia solar, é medido com referência ao sol médio de 24 horas.

Dimorfismo sexual: Característica apresentada por algumas espécies em que o macho e a fêmea são diferentes, que podem ser no tamanho, cor ou forma. Como exemplo o leão tem juba e a leoa não.

Dioxina: É a base de vários inseticidas, herbicidas e desfolhantes e um produto formado durante a síntese do triclorofenol.

Dique: Reservatório, com comporta; Represa; açude; doca.

Disseminação: Difusão; Espalhamento. Como exemplo, diversas espécies de aves como tucanos e papagaios, disseminam as sementes dos frutos que se alimentam, em especial de palmeiras, fazendo germinarem por vários locais.

Distribuição geográfica: Disposição territorial das áreas de ocorrência de determinada espécie.

Distribuição original: Disposição territorial das áreas de ocorrência de determinada espécie.

Diversidade específica: Número de espécies presentes em uma determinada área.

Diversidade subespecífica: Número de subespécies em que uma espécie está dividida.

Dorso: Parte das costas dos seres vivos, onde o oposto é o ventre.

Dossel: É o estrato superior da vegetação, formado pelas copas das árvores.

Drenagem: Escoamento de águas de terrenos encharcados, por meio de tubos, valas ou fossas.

Dulcícola: Refere-se aos ambientes de água doce, como rios e lagoas.

Duna: Formações arenosas criadas principalmente pela ação dos ventos e por condições locais de relevo e vegetação. Se assemelha à da Restinga, distribuída em porções, freqüêntemente associdadas á pequenas lagoas interiores. A fauna deste ecossistema é pobre.

Ecofase: Na vida de um ser vivo podem existir várias fases ecológicas chamadas de ecofases ou biofases. Um exemplo está na borboleta que quando larva, se alimenta de folhas de uma determinada planta, ao passo que a borboleta adulta se interessará pelo néctar das mais variadas flores.

Ecologia: Estudo das relações dos seres vivos entre si e com o meio ambiente.

Ecometria: Cálculo de reflexão de sons.

Ecossistema: Conjunto integrado dos componentes bióticos e abióticos que interagem em determinado lugar ou ambiente. É também o conjunto dos seres vivos e do seu meio ambiente físico, incluindo suas relações entre si.

Ectoparasita: Organismo que vive parasitariamente no exterior do outro, como o carrapato que vive num carneiro.

Edentata: Ordem dos mamíferos a qual pertencem os tatus, tamanduás e preguiças. Também chamados de Desdentados, por não os possuírem dentes ou apenas resquícios destes.

Efeito Estufa: É a camada de gases que envolvem a Terra como um vidro que impede o calor terrestre de voltar ao espaço, esquentando o planeta. A poluição no seu acúmulo de dióxido de carbono na atmosfera, provocado pelas emissões industriais e dos veículos e outros tipos de gases poluentes, esse calor passou a ser encurralado dentro de uma “estufa” atmosférica. Os efeitos são desastrosos para a natureza, destacando o aumento na temperatura global e também o aumento no nível do mar. Até os anos 90, os maiores poluidores eram os EUA com 17,6%, ex-URSS com 12,0% e Brasil com 10,5%. No caso brasileiro, eram com desmatamentos e queimadas. Para conter este processo atual, seria necessário o plantio de florestas equivalentes a toda área do Brasil para todo o planeta! Em 2.007, o Brasil estava em quarto lugar mundial, como país que contribui no Efeito Estufa, que era em desmatamentos e queima de combustíveis fósseis. São 6 mil toneladas diárias de gases lançados na atmosfera, na parte brasileira!

Efluentes: É uma denominação técnica muito usada nos trabalhos de avaliação de poluição industrial. Os efluentes são os dejetos líquidos ou gasosos emitidos por indústrias ou mesmo por residências.

Eixo imaginário: É a linha imaginária que passa entre os pólos, pelo centro da Terra. No caso a Terra gira no seu sentido anti-horário.

Elevação: No meio terrestre, é o nome que se dá para a altura de qualquer variação no relevo, como exemplo os morros e montanhas.

EMATER: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural.

EMBRAPA: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária.

Embrião: Ser vivo nas primeiras fases de desenvolvimento.

Emigração: Mudança voluntária de um país ou região. Pode ser de pessoas ou animais. O oposto é imigração.

Endêmica: Espécie restrita a uma determinada área, sendo o mesmo para doenças. Também é dado o termo endemismo e endemia.

Endocruzamento: Cruzamento entre indivíduos aparentados.

Energia: Os diversos elementos que compõem a vida orgânica e inorgânica sobre a Terra se caracterizam por uma troca constante de energia, nas suas mais diversas formas. Para o homem, este criou na forma da eletricidade e a queima dos combustíveis fósseis que tem ocasionado ameaça ao mundo.

Energia Eólica: É a energia captada pelo vento, daí seu nome (eólio) usando uma grande hélice como cata-vento, acionando uma turbina ligada a um gerador elétrico. É um meio ecológico viável, só tendo o inconveniente de por vezes produzir som e interferir em transmissões de rádio e tv. É uma boa alternativa para substituir a energia vinda de hidroelétricas. A Alemanha é um dos países que mais tem investido nesta energia, e o Brasil está tendo investimentos, ainda que modesto. A maior parte da energia eólica no país concentra-se no nordeste.

Energia Solar: Uma das grandes esperanças para o mundo não depender mais das energias termelétricas ao produzir eletricidade. São umas conjuntas de pequenos quadros chamados células fotovoltaicas, que então absorvem a luz solar na forma de fótons e transformando-a em energia elétrica. As células convencionais são feitas de silício, o mesmo material usado nos chips de computador. Atualmente as pesquisas de campo no ramo estão bem desenvolvidas, onde as novas células (supercélula) já são capazes de absorver e produzir bem mais energia elétrica do que eram até poucos anos. Dentre os países que estão mais investindo são os EUA e a Alemanha.

Entulho: Materiais inúteis, geralmente provenientes de demolições. Atualmente, os entulhos estão sendo um problema crescente e um deles sendo de construção civil, que cresce em todas as cidades. Uma boa solução é o uso destes entulhos triturados, junto do material destinado à pavimentação, que elimina os entulhos, barateia o material para pavimentação, alem de melhorar grandemente estes pavimentos. Cidades como São Paulo, vêm adotando este método.

Epífita: Planta que cresce sobre outra, utilizando-a apenas como suporte. São plantas como orquídeas e bromélias e uma série extensa de outras famílias de plantas. Ao contrário do que se pensam, as epífitas não são parasitas pois são capazes de realizar a fotossíntese, fabricando seus alimentos a partir de substâncias inorgânicas.

Eqüídeos: Família de mamíferos ungulados que são o cavalo, zebras, onagro e o asno (ou jumento).

Erosão: O vetor da erosão são as águas correntes, sejam elas pluviais ou fluviais. Praticamente inexistente em regiões de florestas. A erosão se dá mais por efeito em solos nus, com pouca proteção de espécies vegetais. O desmatamento mal planejado, se faz aparecer mais a erosão, causando sérios deslizamentos. No Brasil se dá o nome de voçoroca, dos grandes desmoronamentos em áreas montanhosas que foram desmatadas. O replantio destas áreas é fundamental na paralisação do processo.

Escapular: Referente a escápula, osso da região do tórax que se articula com o membro superior.

Escurecimento global: Problema mundial relacionado à poluição e aquecimento global. Começou na segunda metade do século XX. Instrumentos de medição passaram a constatar uma queda de luz solar de até 10%. Em algumas áreas a redução foi ainda maior, que foram na América do Norte, Europa e Ásia. Em Hong Kong a incidência de luz diminuiu 37%. A explicação está que parte da luz refletida por partículas de fuligem no ar e volta ao espaço. A poluição também faz com que mais gotículas d’água se condensem, levando à formação de nuvens mais densas e escuras que também bloqueiam a luz.

Esgoto: Resíduos de todo tipo produzido geralmente pelas cidades e quase sempre lançado em rios ou mares. Mais correto é o esgoto ser depurado em estações de tratamento antes de ser lançado em águas o que pode ocasionar sérias contaminações.

Especialista: Espécie que se utiliza apenas de um determinado recurso ou alimento.

Especialização: Adaptação dos organismos à viverem em determinado ambiente ou utilizarem um tipo específico de recurso.

Espécie: Conjunto de indivíduos que apresentam características semelhantes e que são capazes de reproduzirem entre si.

Espécie exótica: Espécie vegetal ou animal que não é nativa de uma dada região, país ou continente.

Especificidade de habitat: Qualidade da espécie que está restrita a determinadas condições do ambiente.

Espécime tipo: Exemplar utilizado para a descrição de uma nova espécie.

Espeleologia: Estudo das cavidades naturais subterrâneas, sendo limitado o seu uso apenas ao estudo de ordem técnico-científica, atividades de cunho espeleológico, étnico-cultural, turístico, recreativo e educativo. Tem como princípios a procura, exploração, observação e interpretação das cavernas.

Espermatozóide: Elemento masculino germinativo, maduro. É dotado de motibilidade onde apresenta três partes: cabeça, corpo e cauda (ou flagelo). É o único elemento figurado do esperma. Esperma vem do grego que significa semente.

Estação Ecológica: Área representativa do ecossistema e destinada à pesquisa de ecologia e preservação ambiental. Até 1.992 o Brasil possuía 21 dessas estações.

Estro: Fase fértil do ciclo reprodutivo de um animal do sexo feminino; Cio.

Estuário: Local onde o rio desemboca no mar havendo mistura das águas doces e salgadas; Foz; Desaguadouro.

Etologia: Ciência que estuda o comportamento dos seres vivos.

Eucalipto: Originário da Austrália e dividido em várias espécies, foi difundida no mundo todo como árvore de florestamento e para aproveitamento no papel e medicina. Na prática esta árvore se revelou mais daninha ao solo do que o contrário, pois suas raízes profundas acabam ressecando lençóis freáticos; suas folhas ricas em tanino, são dificilmente biodegradáveis e mesmo depois de sua decomposição o húmus resultante não é favorável para o aproveitamento de outras árvores. Sem contar que os eucaliptos são bem mais sensíveis às pragas, pois não fazem parte de um ecossistema equilibrado. A área plantada de eucalipto no Brasil equivale a toda área do estado do Alagoas.

Eurosocial: Termo dado para animais que apresentam sociedades mais complexas, ou seja, aqueles que compartilham três características: uma sobreposição de gerações em um mesmo ninho, o cuidado cooperativo com a prole, e uma divisão de tarefas (reprodutores e operárias). Como exemplo, pode ser citado as formigas, abelhas, vespas, cupins e um grupo de roedores africanos.

Eutrofização: Falta de oxigênio na água, que pode ser causada por vários fatores, como fenômenos naturais e artificiais principalmente. Pode ser originada por esgotos e efluentes ricos em fosfatos, nitratos e compostos orgânicos.

Evolução: Desenvolvimento. Transformação no progresso e adaptação da espécie.

Exótico: Nome que dá a toda planta ou animal que nunca fez parte de um local que pode ser em qualquer parte do mundo. Na maior parte dos países, foram introduzidas várias plantas e animais para uso comercial, mas acabaram soltos no meio ambiente, competindo com as espécies nativas e prejudicando-as ao ponto que pode levá-las à extinção. Chamado também de espécies invasoras, é considerado como segunda maior causa da perda da biodiversidade, só perdendo para os desmatamentos! No Brasil são muitos os exemplos, onde os mais lembrados são os animais. Na região norte foi introduzido o búfalo-asiático, no sul a lebre e o javali europeu; em partes do litoral o mexilhão-dourado; no sudeste o mosquito-da-dengue e outros exemplos. Provavelmente os primeiros exóticos brasileiros foram o rato-doméstico, ratazana e camundongo que vieram por navios e como também se espalharam por outros continentes. De plantas, as invasoras foram o capim-gordura, capim-elefante, mamona, eucalipto e várias outras. Atualmente se faz combate aos exóticos para levá-los ao seu completo extermínio na natureza, notadamente em áreas de preservação.

Exsudato: Líquido produzido e liberado pelos vegetais, rico em proteínas.

Extinção: Que deixa de existir. O processo para uma extinção pode ser natural ou provocado pelo homem, em plantas e animais. O aumento populacional do homem e a expansão agrícola tem sido o principal fator da extinção das espécies no mundo, onde em 1.947 eram cerca de mil espécies por ano que desapareciam, sendo que atualmente os números são muito mais alarmantes, começando quase sempre pela microfauna.

Família: Grupamento de seres vivos, composto de certo número de gêneros. Diversas famílias juntas formam uma ordem.

FAO: Organização para a Alimentação das Nações Unidas, sendo a primeira agência da ONU especializada em programas específicos. Atualmente é encarregada também de gerenciar e aplicar os seus próprios projetos. Faz parte da ação da FAO apresentar estudos e planejamentos que contenham propostas para a utilização racional dos recursos agrícolas e identificação de processos de desertificação ou erosão de solos.

Fauna: Conjunto de espécies animais próprios de uma região ou de um período geológico.

Felídeos: Família de carnívoros que incluem desde os gatos até o tigre. Com 37 espécies pelo mundo, no Brasil vivem 8 representantes.

Fenótipo: Conjunto de características de um indivíduo determinado pelos seus genes e pelas condições ambientais.

Feromônio: Substância química desprendida por um animal que influencia o comportamento ou desenvolvimento de outros indivíduos da mesma espécie. Como exemplo o excitante sexual químico da fêmea de certas mariposas.

Ferrugem: Óxido que se forma à superfície do ferro exposto à umidade e ao próprio ar. O mesmo que oxidação. Quando o metal é sujeito a se oxidar, se diz que é ferruginoso. O metal com ferrugem se diz que é ferrugento, enferrujado ou rubiginoso.

Fertilizante: O mesmo que adubo. Os adubos sintéticos são capazes de fixar o nitrogênio nas plantas, mas acabou fazendo as indústrias produtoras serem uma das mais poluentes.

Filo: Cada uma das grandes divisões dos reinos animal e vegetal, imediatamente inferior a sub-reino e imediatamente superior a classe.

Filoma: Termo genérico com que se designam as folhas ou órgãos vegetais que se lhes assemelham.

Fitófago: Que se alimenta de vegetais.

Fitoterápico: A fitoterapia é o emprego do princípio ativo das plantas para a fabricação de chás, tinturas e extratos.

Flora: Conjunto de plantas de uma determinada região. Bactérias, fungos, algas e fitoplânctons marinhos flutuantes, também estão incluídas. Como exemplo, a flora do Brasil é a mais rica do mundo.

Floresta: Extensão formada por árvores de várias espécies e tamanhos. Quando possui caracteres redobrados, sendo quente e úmida, é dado o nome de selva. É dividida em Solo: base da floresta onde estão enraizadas as diversas espécies; Manta: É o que fica na superfície do solo, como folhas secas, restos vegetais e diminutos animais; Campo: É um tapete formado por flores e relva e várias outras plantas rasteiras com pequenos e médios animais; Camada arbustiva: Formada por arbustos, matagal, plantas lenhosas, árvores jovens e outras, com muitos insetos e aves; Copa: Nível mais elevado formada por massa de galhos entrelaçados, frutos e folhas e por vários animais.

Floresta amazônica: É a floresta equatorial chuvosa mais exuberante e rica em formas de vida no mundo. Ocupa um total de 6 milhões de quilômetros quadradas, sendo que no Brasil ocupa 62% na América do sul, e 42% do território nacional. Com a exploração desenfreada na região, basta dizer que entre 1.975 e 2.005, foram destruídos 15% da floresta, equivalente a mesma área da França!

Floresta de palmeiras: Ecossistema brasileiro formado por florestas de palmeiras, destacando o babaçu e a carnaúba. Entretanto este ecossistema é considerado por muitos, como uma formação secundária que se originou da derrubada de florestas outrora existentes. Também chamado de floresta de cocais.

Floresta de coníferas: É um tipo de floresta que é tida como uma das maiores do mundo, quase não ficando nos trópicos. Também conhecida por floresta boreal ou taiga. São os arbustos e árvores com troncos lenhosos e com galhos; Folhas habitualmente como agulhas ou escamosas; Geralmente suas sementes são em pinhas.Esta floresta é constituída de espruces, lariços, ciprestes, pinheiros e abetos. No Brasil, é um ecossistema constituído por várias comunidades florestais de clima subtropical, destacando o pinheiro-brasileiro. Associados a este, encontramos a imbuia, canela, cedro e o mate. O clima é subtropical.

Floresta decídua: Vem do latim decidere que é “tombar”, “cair”. Em grandes áreas do mundo as florestas são “temperadas”, ou sejam, nem muito frio e nem muito quente como também nem muito seco e nem muito úmido. Estas regiões arborizadas mudam constantemente, de vários tons de verde, de acordo com as estações. Portanto a troca e queda das folhas é constante, daí seu significado. Em matéria de camadas no solo, destas florestas, ficam em: a) manta, b0 húmus grosso e fértil, c) matéria orgânica e d) argila.

Floresta de terra firme: Floresta típica das áreas da Amazônia que não sofrem inundação.

Floresta estratificada: Floresta composta por plantas de diferentes alturas ou estratos.

Floresta mesófila: Floresta cuja ocorrência está condicionada à existência de sazonalidade climática (período de chuva e seca).

Floresta ombrófila densa: Floresta alta e densa, que ocorre em região de elevada umidade.

Floresta pluvial: Floresta que se desenvolve em regiões de muita chuva; Floresta ombrófila.

Floresta primária: Floresta original de uma área.

Floresta semidecídua: Floresta em que parte das árvores perde suas folhas no período da seca.

Floresta tropical: É a floresta mais rica do mundo em espécies vegetais e animais, e ficam basicamente nos trópicos. Sobretudo aquelas quentes e úmidas. A maior área desta floresta é a Amazônia.

Floresta tropical sazonal: Floresta original das regiões tropicais quentes e úmidas, em geral de grande porte e sujeita à alterações cíclicas durante as estações do ano. Floresta estacional.

Florestamento: Termo que se dá no plantio de espécies exóticas em uma dada área. São mais para árvores para fins comerciais, com destaque para o eucalipto. Nunca foi bem visto pelos ecologistas, por tomar lugar do que era nativo e por afugentar a fauna. Pelo tanto que foi apelidado de “deserto verde”. Reflorestamento é o termo para espécies nativas.

Fluvial: Que diz respeito ao rio; Próprio o que vive em rios.

Fogo fátuo: Inflamação espontânea de gases emanados dos sepulcros e de pântanos.

Folívoro: Animal que se alimenta de folhas.

Formiga: Inseto terrícola, tido como o mais conhecido da classe. Ao contrário do que muitos pensam, não pertencem a ordem dos cupins (Isoptera) e sim dos Himenoptera. Com cerca de 11.000 espécies pelo mundo, exceto na região Antártida. Incluídos todos numa única família: Fornicídeos. Para o homem, há espécies beféficas e maléficas.

Forrageamento: Atividade de busca do alimento. Forragear é também apanhar alimentos para animais domésticos.

Forrageira: Planta utilizada para alimentação do gado.

Fossa: Cavidade subterrânea na forma de uma cova de tamanho mediano, onde se despejam dejetos. Comum no meio rural, por norma deve ser feito em distância mínima de 200 m de quaisquer curso de água.

Fossorial: Animal que constrói túneis e galerias e nele habita.

Fóssil: Resultado da mineração de um ser vivo, seja planta ou animal.

Fotossíntese: Processo que as plantas elaboram em transformar energia solar com suas folhas e nas suas células, água e gás carbônico como alimento.

Frugívoro: Animal que se alimenta de frutos.

Frutose: Levulose ou açúcar de frutos.

Friso: Detalhe em forma de um filete ligeiramente destacado, encontrado nas formas de madeira, plástico, metal e ainda outros. Também por vezes chamado de marcação em alto relevo. É o oposto de ranhura.

Fumaça: Exemplo clássico da mistura de sólido (partículas de fumaça) com gás (ar atmosférico). Pode ser de várias origens. Da produção de queima, todos são tóxicos ao homem, até mesmo aquela produzida por fogões à lenha, que causam dentre outras, bronquite e até catarata.

Fungo: Um dos cinco reinos em que são classificados os seres vivos, sendo os demais, plantas, animais, morenas e protistas. Os fungos não possuem folhas e não realizam a fotossíntese, isto é, não produzem o próprio alimento, consumindo substâncias simples. O reino dos fungos abrange cerca de 100 mil espécies contra 400 mil de plantas.

Gás natural: Geralmente situado em camadas subterrâneas sobre o petróleo. De combustão menos poluente, seu constituinte principal é o metano.

Gasoso: Que tem natureza do gás. Um dos três estados fundamentais da matéria (gasoso, líquido e sólido); Que contem gás. Como exemplo, em bebidas em geral se adiciona anidrido carbônico para torná-las gasosas.

Geleiras: Nome que se dá para os grandes amontoamentos de neve e gelo, parte deles, arrastados pelas correntes. Estão presentes em 10% da superfície terrestre. Boa parte delas está nas montanhas do hemisfério norte. Os derretimentos das geleiras pelo aquecimento global, estão avançando em níveis nunca vistos e estão sendo a maior prova visível deste aquecimento. Como exemplo as geleiras da Cordilheira dos Andes poderão estarem todas derretidas em apenas algumas décadas futuras. Esta diminuição mundial, contribuirá pela escassez de água doce no mundo.

Gelo: Água em estado sólido. São nos mais variados tamanhos. Os grandes blocos de gelo que vagam pelos oceanos frios, ficaram conhecidos mundialmente pelo termo em inglês de icebergs. Os maiores blocos de gelo no mundo se concentram na Antártida, que chegam a serem do tamanho de pequenos países.

Gen: A “unidade” da hereditariedade, que controla a ocorrência de olhos azuis ou castanhos numa pessoa, por exemplo.

Gênero: Unidade de classificação dos organismos formada por espécies que apresentam características similares.

Gênero monotípico: Gênero constituído por uma única espécie.

Geneticamente viável: Característica dos organismos herdadas de seus parentes que os tornam aptos à sobrevivência e reprodução.

Gleba: Área de terra, geralmente para cultivo.

Glicose: Substância orgânica, açúcar muito espalhado na natureza, especialmente nas frutas, no mel (no organismo animal origina-se do glicogênio); Açúcar das uvas.

Golfo: Porção de mar que entra profundamente pela terra e cuja abertura é muito larga. Um dos mais famosos é o Golfo Pérsico, pela grande movimentação de navios petroleiros.

Goma: Seiva viscosa produzida por alguns vegetais.

Grafita: Mineral romboédrico, variedade cristalina de carbono. Os usos mais conhecidos deste mineral são no lápis e na forma em pó como lubrificante de fechaduras.

Granizo: Nome que se dá à chuva de “pedras” ou gelo. Forma-se quando as gotas de chuva são arrastadas por fortes correntes de ar para regiões em que a temperatura é inferior ao ponto de solidificação da água; ao precipitar-se, o granizo aumenta de volume pela condensação do ar úmido que encontra.

Grão: Nome que se dá mais para semente de cereais; peso do valor de 50 miligramas.

Grupos taxonômicos: São os diferentes níveis de classificação dos organismos.

Guaçu: Palavra tupi-guarani que entra na composição de vários nomes brasileiros, com o sentido de grande. O mesmo que açu. O antônimo é mirim.

Guano: Acumulação de fosfato de cálcio proveniente do excremento de aves marinhas. O mesmo nome também é dado para o acúmulo de fezes de morcegos nas grutas e cavernas onde fazem de morada; Adubo artificial para as terras e preparado com matérias orgânicas.

Habitat: Ambiente que um organismo ocupa e que oferece condições a sua sobrevivência e reprodução. Seria o “endereço” de uma determinada comunidade ou indivíduo. Um habitat é determinado principalmente pela vegetação.

Hectare: Unidade de medida agrária equivalente a cem ares ou a um hectômetro quadrado, daí o nome. Enquanto um are equivale a 100 m2, um hectare é igual a 10 mil metros quadrados. Para se transformar para km2, basta cortar os dois últimos zeros.

Hematófago: Animal que se alimenta de sangue. Ex: carrapato

Hemisfério: Quando se divide esfera em duas metades exatas, cada metade se dá o nome de hemisfério. Na Terra, criou-se divisória imaginária na horizontal, pela linha do Equador. Na parte superior, foi dado o nome de Hemisfério Norte e na inferior de Hemisfério Sul. Pelo planeta girar dentro do seu eixo imaginário e pouco inclinado, o hemisfério norte é mais frio. O nome também é dado para cada metade do cérebro.

Herbicidas: Substâncias químicas com maior ou menor toxidade, borrifadas nas plantações para matar as chamadas ervas daninhas. São altamente tóxicos durante a aplicação.

Herbívoro: Animal que se alimenta de vegetais. Ex: veado

Heterótrofos: Termo dado aos organismos vivos que se alimentam de outros organismos, sejam eles plantas ou animais. São consumidores, comparados aos Autótrofos que são produtores de energia.

Hibernação: Método adotado por várias espécies para sobreviver por longos períodos de inverno, onde geralmente dormem, fazendo uma economia de energia. No caso suas necessidades corporais (metabólicas) são reduzidas a um nível mínimo.

Híbrido: É o resultado do cruzamento de espécies aparentadas, porem diferentes. O híbrido não se reproduz. Pode ser tanto no campo vegetal como animal. Como exemplo o cruzamento entre um jumento e uma égua origina o burro, sendo este híbrido pois não consegue se reproduzir.

Hidroelétrica: Se diz, energia elétrica obtida mediante o aproveitamento de quedas d’água naturais ou artificiais. Para construção de uma hidroelétrica, é preciso uma grande modificação no local, a fim de se fazer uma grande represa. Países que desmatam florestas, como o Brasil, acabam fazendo ter menos chuvas, sendo menos águas em represas o que acarreta baixos níveis de produção de energia em hidroelétricas.

Hidrógono: Rochas formadas no seio das águas ou por intervenção da água.

Hidrosfera: Compreende a superfície terrestre formada por mares, rios, lagos e até represas. No hemisfério norte cobre 61% da superfície e no sul 81%.

Hidrogenado: Que contem hidrogênio.

Hidrol: Designação genérica das águas minerais.

Hidropírico: Designativo dos vulcões que lançam água e fogo.

Hidrofilia: Característica dos organismos que lhes confere preferência por locais úmidos.

Hiléia: Nome dado pelo naturalista Humboldt para a grande selva equatorial que se estende das vertentes orientais dos Andes, pelo vale do Amazonas e pelos seus afluentes, até as Guianas.

Hilótipo: Exemplar utilizado para a descrição de uma nova espécie.

Himenóptero: Inseto da ordem Hymenoptera, como por exemplo as abelhas, marimbondos e formigas.

Homóptero: Ordem de insetos com quatro asas membranosas. Possui aparelho bucal pungitivo e o clípeo muito inclinado para trás. Ex: cigarra.

Horticultura: Arte de cultivar hortas, jardins e produção de mudas.

IBAMA: Sigla de Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. É o órgão federal responsável pela política nacional do meio ambiente. Este órgão praticamente suplantou o IBDF.

Ictiologia: Parte da zoologia que trata dos peixes.

Igapó: Mata da Amazônia, que fica periodicamente alagada pelo transbordamento dos rios. Situa-se em terrenos baixos e próximos de rios. As árvores atingem até 20 m de altura e a maioria entre 4 e 5 m. Este nome indígena significa transvazamento de rios.

Igarapé: Estreito canal natural entre duas ilhas, ou entre uma ilha e a terra firme. Na língua indígena significa “pequeno curso d’água.”

Ilha: Terra cercada por água por todos lados, porém menos extensa que os continentes. O mesmo que insula. Um conjunto destas é chamado de arquipélago. Uma pequena ilha é chamada de ilhéu. A maior ilha do mundo é a Groelândia.

Ilha oceânica: Nome que se dá a um ecossistema à parte. São formados por rochas vulcânicas ou recifes de corais e apresentam vários ecossistemas locais, como Restinga, Manguezal, encostas recobertas com árvores de porte médio e campos rochosos forrados de gramíneas. São mais habitadas por aves marinhas e tartarugas aparecem para nidificar. Um exemplo é a Ilha de Trindade.

Ímã: Óxido magnético de ferro que tem a propriedade de atrair o ferro. O ato de passar esta propriedade para outro ferro se chama imantação, imanização ou ainda magnetização.

Índio: Pode-se dizer que é o homem que vive no seu estado mais primitivo, em meio à natureza. Entretanto se dá o nome de aborígine, o índio que vive na Oceania. A raça do índio brasileiro é a mongolóide, que é a mesma dos orientais. No Brasil se alcunhou o nome de bugre, para o homem branco que passou a viver como índio.
Foram muitas as tribos indígenas brasileiras, que tiveram nomes como Pataxó, Xavante, Cataguás, Abatinguara, Tremenbé, Tamoio, Purí-mirim, Moropacs, Mandiboia e muitas outras. A grande maioria foi exterminada pelos bandeirantes.

Insetívoro: Organismo que se alimenta preferencialmente de insetos.

Inseto: Classe de animais que tem por característica principal em possuírem seis patas. Vivem na Terra mais de 300 milhões de anos. São os que existem em maior número, sendo ¾ de todos os bichos existentes. Possuem três pares de pernas; esqueleto externo duro; corpo dividido em três partes; um ou dois pares de asas. Na alimentação podem ser: Fitófagos, se alimentam de vegetais; Carnívoros (outros bichos); Saprófagos (animais e vegetais em decomposição); Xilófagos (madeira) e Coprófagos (fezes).
Suas ordens são:
Collembola: poduras
Thynasura: traças, termóbias e tinasuro.
Ephemeroptera: efemérida
Odonata: libélulas
Plecoptera: plecóteros
Orthoptera: gafanhotos e grilos
Phasmida: bicho-pau
Dermaptera: lacrainhas
Dictyopeda: baratas e louva-a-Deus
Isoptera: cupins
Mallophaga: piolhos mastigadores
Anoplura: piolhos sugadores
Hemíptera: percevejos
Neuroptera: hemeróbios e formiga-leão.
Mecoptera: mecópteros
Trichoptera: moscas d’água ou friganas
Díptera: moscas e mosquitos
Siphonaptera: pulgas
Coleoptera: besouros e gorgulhos ou brocas.
Lepidóptera: borboletas e mariposas.
Hymenoptera: abelhas, formigas, vespas, tentredéns, vespões e moscas-icnêumone.

Insulano: O que vive e é natural de uma ilha e vive isolado.

Introdução de espécies: Ato de introduzir uma espécie em uma área onde ela naturalmente não ocorria, ou ocorria e havia desaparecido.

Inundação: Pode ser ocasionado por alterações bruscas no meio ambiente, como o desmatamento que fazem com que as águas pluviais aumentem em grande quantidade as águas dos rios, transbordando e invadindo cidades. Construções também muito próximos aos rios, estão bastante sujeitos a estas e outras inundações; Extravasamento; Alagamento.

Invertebrado: Animal sem espinha dorsal. Os invertebrados continuem 90% das espécies animais.

Ipê: Nome da árvore florífera mais famosa do Brasil. No país são 15 espécies ao todo, sendo 8 só do amarelo. A flor símbolo do Brasil escolhida foi a do ipê-amarelo.

Isolamento genético: Impossibilidade de fluxo de genes entre organismos.

Isopor: Produto sintético derivado do petróleo que consiste no plástico poliestireno expandido. Possui grande aplicação, em especial para embalagens de objetos. Não causa impacto no meio ambiente, pois consiste de dois elementos, carbono e hidrogênio. Não contamina o solo, água e o ar e sendo 100% reaproveitável. No meio ambiente, leva 150 anos para degradar. O único inconveniente, é que pequenos pedaços oriundos de lixos em águas fluviais e marinhas, são engolidos por peixes, pensando ser alimento e pode causar danos no seu sistema digestivo.

Javali: Mamífero da ordem dos Perissodátilos e família dos Suídeos. Com várias espécies, entretanto não está presente no continente americano. Os suídeos têm seus sucedâneos na América nos Taiassuídeos, com a queixada e o cateto. A fêmea do javali é a javalina.

Lácteo: Relativo ao semelhante ao leite. Quando o leite possui açúcar é denominado lactose.

Lacustre: Relativo a lago. Que está ou vive nos lagos. Palustre é no tocante aos pântanos.

Lagarto: Nome que se dá para répteis da ordem dos Escamados e subordem dos Lacertílios. Com centenas de espécies pelo mundo, no Brasil os maiores lagartos são os teiús e os menores sendo os calangos.

Lago: Águas que fazem parte dos continentes. Se dividem em dois grandes ecossistemas: Lêntico, que se refere as águas paradas e o Lótico que se refere a rios e riachos, ou sejam, as águas correntes. O diminutivo é lagoa. A maior concentração de lagos da América do Sul, se localiza no Parque estadual do Rio Doce em MG. São ao todo 140 lagos e se localizam no leste do estado.

Lâmpada: Foi um dos maiores inventos, pois produz luz artificial. Gerada por eletricidade, se divide em Incandescente e Fluorescente. Esta última é também conhecida por “luz fria”. Apesar de ser de maior durabilidade, emitirem maior luz e consumir menos eletricidade (às vezes, até 5 vezes menos), as fluorescentes, possuem em seu interior o chamado “pó fluorescente” que dentre sua composição contem o chumbo. Já existem empresas que reciclam estas lâmpadas cilíndricas, aproveitando tudo e evitando assim, a contaminação do solo. Infelizmente ainda são bem poucas empresas que as reciclam.

Lanolina: Massa viscosa constituída de oleato e estearato de colesterol, extraída da gordura da lã.

Larva: Primeira fase da metamorfose dos insetos, depois de saírem do ovo; Este estado da transformação é chamado de larval; Lagarta. Chama-se taperu, a larva que ocasiona bicheira nos animais.

Latitude: Ângulo formado entre a linha do Equador e a linha chamada paralela. Pode ser tanto para o hemisfério norte como para o sul. Esta distância angular é feita num arco do meridiano. A distância angular restante (que liga até o pólo) é chamada de co-latitude.

Lavrar: Fazer ou abrir sulcos ou regos na terra para fins agrícolas. O terreno já com a cultura é a lavoura. E a produção ou extração é a lavrada.

Leguminosa: Cada uma das plantas caracterizada pela frutificação em vagem.

Lenho: Tecido lenhoso ou vascular, isto é, de sustentação e de condução de água do caule e da raiz das plantas também, chamado madeira ou xilema; Ramo ou pernada de árvore; Tronco.

Lepidóptero: Inseto da ordem Lepidóptera, à qual pertencem as borboletas e mariposas.

Liana: Planta trepadeira, semelhante ao cipó.

Linha do Equador: É a linha que divide a Terra em duas metades iguais, na horizontal. Por isso, é chamada de “círculo máximo”. Nesta divisão, na parte superior é o hemisfério norte, na inferior o sul. As linhas paralelas ao Equador, são os paralelos, onde para cada hemisfério, começa com o zero grau do Equador e termina em cada pólo em 90 graus.

Linha de Greenwich: Também chamado de Meridiano de Greenwich, representa o zero grau na vertical do planeta. Por convenção, foi escolhida esta linha passar pelo Observatório Real de Greenwich, uma cidade inglesa. O oposto de Greenwich, ou seja, seu antimeridiano, termina então em 180 graus.

Liquefação: Passagem de um corpo ao estado líquido. O corpo com esta capacidade se diz que é liquefativo.

Liquens: São uma das formas mais primitivas e resistentes de vida. É também um criptógamo avascular, resultante da simbiose de alga e cogumelo. São importantes bioindicadores pois são sensíveis ao gás anidrido sulfuroso, indicando sua presença.

Litoral: Termo empregado para uma área de costa. Qualquer animal ou vegetal que viva na praia é dito como litorâneo.

Livro vermelho: Publicação que contem informações sobre a situação das espécies ameaçadas de extinção.

Lixiviação: É a remoção de materiais presentes no solo pela ação das águas das chuvas ou de rios. Ocorrem principalmente em solos sem cobertura vegetal (solos nus), retirando da terra substâncias orgânicas e minerais que contribuem para sua fertilidade.

Lixo: Termo que se dá a tudo que não é mais utilizável, e fica tudo acumulado. Atualmente as grandes cidades são as maiores produtoras de lixo urbano e o fogo é a forma mais primitiva para eliminação deste. Outra maneira é na forma de aterro que ainda não é totalmente correta. A reciclagem é a maneira mais correta do aproveitamento do lixo, onde as maiorias dos países começaram este processo, ainda que moderado. No caso do lixo urbano, é comum surgir líquido resultado do grande acúmulo, que é fético e chamado de chorume. No caso de animais mortos, e até de pessoas, é chamado de necrochorume.

Lixo radioativo: Este tipo de lixo tem sido um dos grandes problemas atuais, no que resolver no destino deste. Bombas de cobalto usados em hospitais nos tratamentos do câncer podem tomar um risco sério quando não isoladas em recipientes de chumbo e enterradas longe de zonas de alta densidade populacional. Um grande problema esta na estabilidade de materiais como o plutônio que pode alcançar até 100 mil anos.

Localidade tipo: Local onde foi coletado o exemplar ou exemplares utilizados para a descrição de uma dada espécie.

Lôdo: Terra misturada com detritos orgânicos no fundo da água. Existem outras formas de lodo, sendo que várias são benéficas na recuperação do solo. Um local com muito lodo é chamado de lodaçal. O aparelho destinado a retirar lodo e areia do fundo dos rios e do mar, é a draga.

Longitude: É a distância angular formado entre a linha de Greenwich e a linha do meridiano. Pode ser tanto para o lado leste como para o oeste. Estas são lidas num arco do paralelo.

Macaco: Mamífero da ordem dos Primatas e vivem em dezenas de espécies nas áreas tropicais do mundo. O Brasil abriga o maior contingente com 70 representantes e divididos até em duas famílias. Vive no país o menor representante, sendo o sagüi-pigmeu ou sagüizinho.

Maciço: Formação eruptiva; Conjunto de montanhas agrupadas em torno de um ponto culminante. Nome também dado para arvoredo ou mata fechada, sem clareiras.

Macroevolução: São as modificações ocorridas em grande escala ao decorrer do processo evolucionário. Ela se refere a mudanças relevantes que acabam dando origem a novas espécies.

Macrófita: Planta aquática superior, como exemplo o aguapé.

Magnetismo: Poder atrativo do ferro magnético, dos imãs ou sistemas e, faculdade que eles tem de se orientarem na direção norte – sul. O minério é a magnetita, que é monométrico. É um óxido de ferro magnético, sendo um excelente minério de ferro, com composição de Fe3O.

Malária: Infecção produzida por protozoários. No caso uma relação simbiótica entre a fêmea do mosquito Anopheles, o hospedeiro intermediário do protozoário Plasmodium. O inseto acaba infectando o homem que é o hospedeiro definitivo da interação. Esta doença tem como sintoma parecido com a gripe, onde depois de dez dias de latência, surgem ataques episódicos de febre alta e tremores violentos a cada 48 horas.

Malte: Cevada que se faz germinar e secar para emprego industrial, especialmente no fabrico de cervejas.

Malvo: Designação dada às fibras têxteis de certas árvores.

Mamíferos: (Mammalia) Classe animal que compreende animais de sangue quente, portadores de pêlo (ou cabelos) e que se alimentam de leite quando pequenos, daí a origem do termo. São tetrápodes, ou sejam, quatro membros. É um dos principais representantes da fauna terrestre. Com 5.500 espécies pelo mundo, sendo a maior espécie terrestre, o elefante-africano e de vida aquática, assim como o maior de todos sendo a baleia-azul. Os menores são os camundongos e mussaranhos.
Na ordem são divididos em:
Proboscídeos: elefantes
Ungulígrados: antas, rinocerontes, cavalos, veados, antilocapras, bois e camelos.
Sirênios: manatins e dudongos.
Quirópteros: morcegos
Xenartros: tatus, tamanduás e preguiças.
Tubilidentados: oricteropo
Roedores: ratos, castores, ouriços, arganaz até a capivara.
Hiracoídeos: hírax
Dermópteros: calungas
Lagomorfos: coelhos, lebres e picas (ou lagômios).
Carnívoros: doninhas, quatis, cães, gatos, ginetas, focas e ursos.
Folidotas: pangolins
Marsupiais: cangurus e gambás.
Primatas: gálagos, lêmures, macacos e o homem.
Cetáceos: botos, orças e baleias.
Monotremos: équidna e ornitorrinco.
Insetívoros: musaranhos, toupeiras e porcos-espinhos.

Manancial: É o local onde há descarga e concentração natural de água doce originária de lençóis subterrâneos e de águas superficiais, que se mantém graças a existência de um sistema especial de proteção da vegetação.

Mangue: Vegetação que cresce ao longo dos estuários, nas regiões tropicais, e está sob forte influência das marés. É pobre em variedade de espécies vegetais mas abriga enorme quantidade de animais, dentre invertebrados, vertebrados, terrestres e aquáticos. É fundamental para a manutenção dos locais de nascimento de peixes, crustáceos e moluscos, que constituem a base da cadeia alimentar do oceano.
Os mangues são divididos em três fases:
a) Mangue-vermelho: São os primeiros a colonizar uma margem estreita de uma extensão de águas pouco profundas e relativamente calmas. As suas raízes subaquáticas retêm sedimentos e detritos, criando assim terra.
b) Mangue-negro: Vem a seguir, cujas raízes formam um entrançado denso, desenvolvem-se numa zona mais elevada.
c) Mangue-branco: Em área ligeiramente mais elevada e são gumbolimbos e se desenvolvem em águas salobras.
No Brasil fica uma das maiores áreas de mangue do mundo. Este ecossistema estende do AP até SC, ocupando 10% da área mundial.

Mapa: Nome que se dá para desenhos geográficos das localizações gerais. Em certos setores como aeronáutica, é conhecido por carta.

Mapinguari: Nome de um ser lendário entre os indígenas da Amazônia, sendo um ser monstruoso num misto de homem com macaco.

Marajó: Nome da maior ilha flúvio-marítima do mundo. Possui 50 mil km2 de área onde seu nome deriva de uma palavra indígena que significa “anteparo” ou “barreira”. Localizada no norte do PA.

Marcação de cheiro: Tipo de comunicação existente entre os animais a partir de odores produzidos por glândulas, utilizada principalmente na marcação de territórios.

Maré: Fluxo e refluxo periódico das águas do mar, que duas vezes por dia sobem e descem alternativamente.

Maresia: As águas dos mares que são salgadas, ficam com salinidade também no ar que circundam, e geralmente vão sendo empurradas pelo vento pelo litoral. O contato deste ar com o metal, faz oxidar este em pouco tempo, o que é um problema para as cidades que ficam junto do mar. Portanto eletrodomésticos, máquinas industrias, veículos e outros, sofrem com a ação da maresia. Entretanto a maresia faz baixar a poluição.

Marfim: Substância branca e compacta que constitui a maior parte dos dentes dos mamíferos. Nome que se dá também para as grandes presas dos elefantes e de seus parentes pré-históricos como o mamute. A obtenção das presas dos elefantes para se esculpir marfim no oriente, foi o responsável pela grande mortandade dos elefantes em caçadas para então fazer comércio de tal material.

Marsupial: A maioria dos mamíferos crescem durante a gestação dentro do útero. Já nos marsupiais, estes nascem prematuramente e terminam seu desenvolvimento numa bolsa (ou marsúpio) se alimentando de leite fornecido dentro desta bolsa. Exemplos mais conhecidos são o canguru e o gambá.

Mastofauna: Conjunto de mamíferos de um determinado local ou região.

Mata atlântica: Floresta ombrófila que abrangia o RN até o RS e possuía um milhão de quilômetros quadrados. Eram 15% no total de área no país e com a devastação que ocorreu, atualmente só existe menos de 7% de sua cobertura original. Eram 1.306.000 km2, e hoje são somente 100.000. Apesar de ser o bioma mais ameaçado do Brasil, ainda assim é a mais rica em biodiversidade do mundo, onde vivem 15% das espécies vegetais e animais do mundo. A preservação desta floresta é fundamental, pois fornece água constante para os muitos rios que servem as capitais por toda costa. Como forma de incentivo para os fazendeiros preservarem a mata atlântica de suas terras, em 2.006 o governo criou descontos em impostos.No dia 27 de maio, se comemora o dia da Mata Atlântica.

Mata ciliar: É toda vegetação existente às margens dos cursos de água e das nascentes. Ela protege as margens dos cursos de água e as nascentes evitando a erosão e o assoreamento de seu leito. Para a fauna é benéfica onde alimenta com insetos e frutos os peixes, abrigo para animais selvagens e proteção em geral. A mata ciliar é área de preservação permanente, onde o mínimo é 30 m e protegida por lei. O termo “ciliar” vem de cílios humanos, por fazer lembrar a proteção dos olhos; Mata de galeria.

Mata de topo: É a mata existente no alto dos morros nos divisores de água, que recebendo as águas pluviais, recarrega os lençóis freáticos. É importante no controle da erosão.

Mata secundária: Vegetação que ocorre em locais onde a mata original foi retirada ou muito alterada.

Mato: Conjunto de pequenas plantas agrestes. Um local coberto de mato é também conhecido por matoso. Difere de mata por ser de plantas menores.

Meio ambiente: É onde os vários seres vivos coexistem juntos. É o tema de principal preocupação em todo mundo, principalmente na sua conservação. As ameaças são muitas, como o aquecimento global, poluição e diversos outros fatores. Dentre os vários efeitos de má conservação do meio ambiente é a miséria. O dia mundial do meio ambiente é 5 de junho.

Mel: Substância doce e densa, feita por abelhas do suco das flores. Ficam depositados em alvéolos especiais. São para alimentar as próprias abelhas. São vários os bichos que apreciam o mel e atacam a colméia para lhes retirar. O próprio homem faz o mesmo, do qual faz criações de abelhas para esse fim. Esta criação se chama Apicultura.

Melanina: Pigmento escuro que é produto de atividade celular, onde é encontrado na pele, pêlos, na coróide e na retina. Ocorre em várias espécies um acidente genético que é o melanismo (o oposto de albinismo) que é o excesso de cor escura. Como exemplo a onça-preta.

Mercúrio: Elemento químico, metal líquido que também é conhecido por azougue. O mercúrio tem vários usos, dentre eles na exploração de ouro onde faz a separação. A contaminação por mercúrio como algo poluidor é um dos mais prejudiciais que existe. No organismo humano ou animal, chega a lesar o cérebro em caráter irremediável como também pode levar à morte.

Meridiano: São as linhas verticais paralelas à linha de Greenwich. Enquanto Greenwich representa o zero grau na vertical, cada meridiano representa um grau. Para a direita de Greenwich, cada grau é representado com a letra E, de East, que significa leste (ou este). Para esquerda é representado o grau, com o final W, que significa West, que é oeste. Cada meridiano, começa em Greenwich (zero grau) e termina no anti-meridiano de Greenwich que é 180 graus. Cada meridiano, é perpendicular ao parelelo.

Mestiço: Cruzamento de raças diferentes, tanto animal quanto humanal. No Brasil a mestiçagem (ou miscigenação) que ocorreu foram com raças branca, índia e negra. Branco + índio: caboclo (ou mameluco), branco + negro: mulato (ou pardo). E índio + negro: cafuzo (ou caburé).

Metabolismo: Conjunto de reações químicas, que ocorrem nos organismos vivos, responsáveis dentre outras coisas, pela produção de energia.

Metano: Hidrocarboneto formado pela combinação de um átomo de carbono e quatro de hidrogênio. Um dos emissores de gás metano é o próprio gado (saindo pela boca). Foi descoberto que estes bovinos produzem 300 litros deste gás por dia! Em excesso, é maléfico ao meio ambiente.

Meteoróide: São fragmentos de material que vagueiam pelo espaço. Derivam de corpos como os asteróides e cometas. Ao entrar em contato com a atmosfera de um planeta, se chama meteoro (ou estrela cadente). Já os meteoritos, diferem dos meteoros quando atingem a superfície terrestre, não são consumidos completamente pelo fogo decorrente do atrito da atmosfera. Os meteoritos podem ser como em forma de pós, ou até com quilômetros de diâmetro. Podem ser na forma de aerólito (rochoso) ou siderito (metálico). O maior que se tem notícia é o “Hoba west” que caiu na Namíbia (África), com 2,70 m de comp., 2,40 m de largura e peso estimado de 59 ton. No Brasil foi a “pedra de Bedengó” que caiu na BA, em 1.784 e exposto no Museu nacional do Rio.

Metrópole: Nome que se dá para a maior e principal cidade de um estado; capital.

Micologia: O estudo dos fungos.

Micróbio: Organismo microscópio, pode ser tanto animal como vegetal. O estudo que trata dos micróbios é a microbiologia.

Migração: Na natureza existem várias espécies que fazem mudanças de locais, para encontrarem melhores ofertas de alimentos, assim como para fugirem do inverno. Cada espécie é influenciada por um ou outro estímulo ambiental, o que resulta na grande variedade de padrões de comportamento migratório. Muitos trajetos de migrações, não são os mesmos quando retornam. Estes animais se orientam de modo visual e até mesmo por magnetismo da Terra, que é assunto de pesquisa por parte de estudiosos. Algumas migrações são curtas e outras chegam a 25 mil km, como é o caso da ave trinta-réis-do-ártico, que reproduz no pólo norte e migra para o próximo do pólo sul percorrendo esta longa distância. Para o homem, a migração é a passagem de um povo de um país para outro.

Mimetismo: Forma que os animais usam para se confundirem com o meio ambiente para não serem vistos, no caso tanto para evitar ser caçado, como para se caçar. Pode ser tanto na coloração como na forma. Como exemplo o urso-polar que é branco que se mimetiza com o gelo e a neve. O bicho-pau e o urutau se confundem com um galho. Existem países desenvolvidos que estudam as cores dos animais na natureza para uso militar.

Mineral: Qualquer substância inorgânica que se encontra naturalmente na constituição da litosfera. Já o minério se diz quando do mineral é possível estrair industrialmente um metal.

Miriápodes: São animais incluídos numa classe distinta que é Diplopoda. Tem corpo cilíndrico, articulado; dois pares de pernas articuladas por segmento; a cabeça tem antenas curtas, muitas vezes dobradas em ângulo.Os miriápodes tendem a viver em lugares úmidos, fazendo túneis nas camadas superficiais do solo ou em montes de folhas em busca de alimento ou vegetação em decomposição.Alguns miriápodes são atarracados e capazes de enrolar-se em bola, de maneira semelhante aos tatuzinhos. São cerca de 7.000 espécies.

Mirmecófago: Animal que se alimenta de formigas. Ex: tamanduá e tatus

Mofo: Palavra que vem do alemão muff, que significa “mal cheiro”. É o que ocorre geralmente dentro de residências ou até cavernas, sendo resultado de acúmulo de água devido a infiltrações. O cheiro resultante deste ar parado, úmido e sem circulação no local, é chamado bafio. Em pessoas costuma-se dar alergias, ocasionados por ácaros e outros itens resultantes; bolor.

Moluscos: São um filo (Mollusca) onde depois dos insetos, é o mais numeroso em espécies.Possui uma camada de tecido mole, o manto, cobre todo o corpo ou parte dele; o manto secreta uma concha calcária, que pode ser interna ou externa ao corpo; o corpo se divide em cabeça, pé musculoso e “massa visceral”, que contém os intestinos e os órgãos reprodutores. Suas classes são:
Gastropoda : lesmas, caracóis e caramujos.
Bivalvia : bivalves.
Scaphopoda : dentes-de-elefante ou conchas-de-dente
Amphineura : quítons
Cephalpoda : polvos, sibas e lulas.

Monocultura: Plantação de uma única espécie de planta. Ex: canavial.

Monogamia: Sistema reprodutivo em que o animal que tem um único parceiro reprodutivo.

Monotípico: Unidade de classificação dos organismos com apenas um representante.

Montanha: Grande elevação e volume de terra. Esta pode estar constituída também de minerais. Quando há depressão ou planície entre montanhas, se diz vale ou val.

Morfometria: Estudo que trata das relações entre a forma e o tamanho dos organismos.

Mosaico: Termo que se dá para áreas de preservação muito próximas uma da outra e com as mesmas características.

Mosquito: Inseto da ordem Díptera (duas asas) que incluem também as moscas. Com várias espécies, sendo que algumas são vetores de sérias doenças; pernilongo.

Mustelídeos: Família de pequenos carnívoros que vão desde as doninhas até os texugos e a lontra-gigante. Com 65 espécies pelo mundo, no Brasil existem 8 representantes.

Mutante: Se diz que sofreu mutação, ou seja, o primeiro a ter uma transformação. Como exemplo, a foca que era terrestre e o primeiro nascido para o meio aquático, fora o mutante.

Nascente: Na natureza, é o nome que dá onde começa uma corrente de água. Por regulamentação, no Brasil uma nascente deve ser protegida num raio de 50 metros de mata ciliar por todos seus lados; Fonte: olho d’água.

Natureza: Conjunto de seres que formam o universo.

Nectívoro: Animal que se alimenta de néctares. Como exemplo os colibris, certas espécies de morcegos e outros.

Neotropical: Região zoogeográfica que compreende do México até a América do sul.

Neve: Precipitação da água em estado sólido que cai em flocos brancos e leves no inverno, em virtude do abaixamento de temperatura. O período que cai neve ou que já tenha caído no solo, se diz nevada. E sendo nevasca, a nevada acompanhada de tempestade. Mais comum no hemisfério norte.

Nicho: O “papel” de uma espécie na natureza. O que ela come, quais seus predadores, onde vive, etc...

Nidificação: Ato de construir e utilizar ninhos.

Nuvem: São várias as designações para nuvem. A mais comum é o agregado de vapor de água condensado na atmosfera em gotículas e que se mantém em altitude mais ou menos constante. Dependendo da forma e altitude destas nuvens, possuem seus nomes. Há três tipos fundamentais de nuvens: Cirros (filamentosas), Cúmulos (arredondadas e empilhadas) e Estratos (em camadas). Como exemplo, as grandes nuvens de chuvas são chamadas de cúmulos-nimbus, cuja sigla é Cb. Nevoeiro é uma nuvem baixa.

Oceano: Grande extensão de água salgada que banha um ou mais continentes. Cobrem 70% da superfície terrestre. São divididos em cinco: Atlântico, Pacífico, Índico, Ártico e Antártico. O maior deles sendo o Pacífico, assim como na profundidade; Mar.

Ofídios: Subordem da ordem dos Escamados, que compreende as cobras. Com 2.700 espécies pelo mundo.

Ofiófago: Animal que se alimenta de cobras. Ex: muçurana.

Óleo: Designação genérica de substâncias líquidas gordurosas. Estes podem ser de origem vegetal, animal e até mineral. Como exemplos o azeite que é de origem vegetal e o petróleo que é um óleo mineral. Em óleos de origem mineral usados na lubrificação, se diz como o termo viscosidade, que é qualidade das partículas deste óleo de aderirem reciprocamente.

Onívoro: Animal que se utiliza de vários tipos de recursos alimentares, destacando de matéria animal e vegetal. Ex: quati.

ONGs: Sigla para Organização Não Governamental. Surgiram a partir da constatação que nem sempre o governo ou os partidos políticos representam ou atuam de acordo com os interesses mais profundos da sociedade civil, notadamente quando o assunto é meio ambiente. Estes grupos passaram a se formarem, e pressionarem as decisões governamentais.

ONU: Formada em 1.945, a Organização das Nações Unidas, é um órgão consultivo e de gerenciamento político em nível mundial. Em 94 contava com 185 países-membros. Exerce um importante papel na negociação de conflitos internacionais e na elaboração e aplicação de projetos por meio de organismos a ela ligados como a FAO, OMS, Unesco, Unicef e outros.

Organização social: Estruturação de um grupo de indivíduos de uma mesma espécie, onde são estabelecidas diferenças hierárquicas.

Órgão de Jacobson: Nome do órgão respiratório dos répteis da ordem dos Escamados e localizado no céu da boca. No caso então os lagartos e cobras, protraem sua língua (para fora da boca) e captam o cheiro no ar e passam a língua neste órgão para se fazer sentir.

Oriente: É a parte leste do mundo e o oposto sendo o ocidente. O país que divide ambas partes é a Grécia: De onde nasce o sol.

OSCIP: Organização da Sociedade Civil de Interesse Público. Título fornecido pelo Ministério da Justiça, que facilita parcerias e convênios com todos os níveis de governo e órgãos públicos (federal, estadual e municipal) e permite que doações realizadas por empresas possam ser descontadas no imposto de renda.

Ovovivíparo: Modo de botar onde o ovo do qual este se parte na madre para dar saída ao filhote. Pode-se dizer que está entre o ovíparo e o vivíparo. Ex: A cascavel e a jararaca são ovovivíparas.

Ovário: Órgão dos animais onde se formam os ovos ou óvulos.

Oxigênio: É o elemento mais abundante na face da terra, existindo no ar ocupando 21% da atmosfera, nas águas doces e salgadas. É produzido a partir da fotossíntese de fitoplânctons, algas e plantas, seus principais produtores. É necessário no processo de combustão e elemento vital na respiração e produção de energia na maioria dos seres vivos.

Ozônio: É uma variedade de oxigênio composta por três átomos. Apresenta-se na forma de um gás azulado e de odor ocre, que ocorre naturalmente na atmosfera, formando uma camada de 22 km do solo que envolve a Terra. É um “filtro” que protege o planeta da ação direta dos raios solares.

Palmeira: Planta facilmente reconhecível pela sua forma, no seu tronco cilíndrico (chamado de espique ou estipe), com várias folhas longas e divididas no topo. Dividem-se naquelas que lembram peteca no topo, e outras com folhas em forma de leque. São cerca de 3.500 espécies pelo mundo e 300 no Brasil, onde até mesmo o coqueiro na sua única espécie é uma palmeira. Nesta família (Palmáceas), incluem também as tamareiras. O homem soube ao longo de séculos, usufruir da maioria das palmeiras, no caso em alimentação, folhas no artesanato e até extração de óleo. Como exemplo no Brasil existe no litoral nordestino a palmeira piaçaba (ou piaçava), do qual suas folhas dão fibras que se fazem vassouras. São também muito utilizadas no paisagismo em todo mundo.

Pântano: São áreas alagadas por água doce, de modo permanente ou temporárias. Consideradas imprestáveis ao homem, são no entanto ricas no papel ecológico para várias espécies animais. Alem dos pântanos, os estuários e mangues, estão entre os ecossistemas de maior biodiversidade do mundo, porem vulneráveis à ação do homem; Paul.

Papagaio: Nome que se dá para várias aves da família Psitacídeos, presentes mais nas partes tropicais dos continentes americano, africano e da Oceania. No Brasil possuem um terço da família.

Papel: Substância feita de fibras vegetais reduzidas a massa e disposta em folhas para escrever, embrulhar, etc... No chamado papelão, já sendo um papel encorpado e forte. É um invento bem antigo e de larga aplicação em todo mundo. Até mesmo o dinheiro é feito de papel. Há vários tipos de papel, e até mesmo aqueles resistentes à chuvas. Sua durabilidade é relativa, notadamente os de livros. Atualmente livros antigos, estão sendo transferidos sua escrita para arquivos de computadores. Apesar de o papel ser um item em lixos, se tem a vantagem de ser eliminado sem maiores dificuldades.

Paquiderme: Antiga classificação zoológica para certos ungulados, cuja palavra em grego significa “pele espessa”. Era para animais como o rinoceronte, elefante e outros.

Paralelo: Nome da cada linha paralela ao Equador. Cada uma dela representa um grau. Ao contrário do Equador que é um “círculo máximo”, pois divide a Terra em duas metades, os paralelos comuns não dividem então o planeta em duas metades iguais, e por isso o paralelo é considerado um “círculo menor”. Cada representação de um grau de paralelo é representado no final com a letra N (de North – norte) se for no hemisfério norte, e S (de South – sul) se for no hemisfério sul. O paralelo é perpendicular ao meridiano.

Parasita: Organismo que vive na superfície ou no interior de outro, dito hospedeiro. O parasita obtém do hospedeiro alimento ou algum outro recurso. Pode ser tanto no reino animal como vegetal.

Parque nacional: São áreas de extensões significativas, delimitadas para a preservação da ecologia, proteção da fauna, recursos hídricos e formações geológicas. É aberto à visitação pública. Até 1.998, o Brasil contava com 36 parques nacionais, cuja superfície total era maior que Portugal. Ainda assim davam apenas 2% do território brasileiro, no que no gabarito internacional recomenda que todo país tenha pelo menos 10% de sua área nestes parques. O primeiro parque nacional criado no Brasil foi o de Itatiaia – RJ, formado em 1.937.

Partenogênese: Forma de reprodução em que o ovo desenvolve sem fertilização. Comum em insetos como os ofídios, bichos-pau e vespas que causam gáleas bem como em alguns peixes.

Parvovirose: Doença causada por vírus do gênero Parvovirus.

Pássaro: Termo que se dá para as aves de pequeno porte. A ordem destas aves se chama Passeriformes. Ex: tico-tico.

Pau-brasil: Foi o primeiro produto da terra a ser explorada pelos portugueses. Inicialmente se chamava pau-brasa. Pelo tanto que foi explorada, acabou ficando ameaçada de extinção atualmente. Chegou-se a julgar extinta no século XIX. É a árvore símbolo do Brasil, que foi declarado a partir de 1.961.

Peçonhento: Se diz o animal que injeta veneno (no caso chamado de peçonha) para caçar ou para auto-defesa. São várias espécies de cobras, escorpiões e aranhas.

Pegada ecológica: É uma forma de medir o impacto humano na Terra. Exprime a área produtiva equivalente de terra e mar necessária para produzir os recursos utilizados e para assimilar os resíduos gerados por uma dada unidade de população. Pode ser calculado para um indivíduo, uma comunidade, um país ou mesmo para a população mundial. Segundo cálculos, a pegada ecológica da população mundial cresceu 50% entre 1.970 e 97.

Peixe: Animais vertebrados do filo Chordata que vivem na água e respira por brânquias ou guelras. Estão presentes em lagos, rios e mares. O maior peixe é o tubarão-baleia que chega a ter 15 m e pesar mais de 18 toneladas.
Entretanto são divididos em duas classes:
Chondrichtyes:
São de peixes com esqueletos cartilaginosos; pele áspera e recoberta por escamas dentadas; brânquias laterais descobertas; com a fenda claramente visível. Nadadeira caudal heterocerca. São eles os tubarões e raias, com cerca de 600 espécies.
Osteichthyes:
Peixes cujos esqueletos são feitos de ossos; corpo revestido por placas duras ou escamas ciclóides; brânquias cobertas por uma única dobra de pele; nadadeira caudal de lobos iguais. São os arenques, enguias, bremas, melros, etc... Com mais de 20 mil espécies.

Pelágio: O ecossistema pelágio compreende toda a massa líquida, incluindo os peixes e mamíferos que vivem nela, no caso dos mares e oceanos.

Pélvica: Relativo à região do tórax, onde se articulam os membros posteriores e a coluna vertebral.

Península: Porção de terra cercada de água por todos os lados, exceto um, por onde se liga ao continente.

Perene: Nome que se dá para diferentes partes de uma planta que sobrevive no inverno. Também é interpretado como planta que sobrevive como indivíduo de um ano para outro, de alguma forma – por exemplo, como bulbo.

Perissodátilo: Ordem de mamíferos que possuem número de dedos ímpares, dos quais são apenas os representantes das famílias das antas, cavalos e dos rinocerontes.

Petróleo: Líquido fóssil de cor negra que ocupa hoje 90% das necessidades mundiais de energia. Porem a queima de combustíveis fósseis, influi drasticamente no efeito estufa e na chuva ácida, alem de causar problemas ambientais nos mares e oceanos.

Pesticida: Inseticida organoclorado, considerado dentre os mais tóxicos.

Pinheiro: Árvore resinosa, dividida em várias espécies pelo mundo. No Brasil existe somente na espécie conhecida por araucária ou pinheiro-brasileiro. A importação de espécies exóticas para cultivo em larga escala, pode causar sérios problemas ao solo.

Psicicultura: Chamadas de “fazendas de água”, é uma cultura que surgiu há poucas décadas, sendo a criação de peixes em larga escala em grandes recintos. Alem de peixes fluviais e marinhos, também podem ser de camarões e até de ostras.

Pirófitas: Nome que se dá para algumas espécies de árvores que se beneficiam com o fogo. Como exemplo um pinheiro norte-americano que tem suas pinhas abertas com a presença de queimadas e do calor, espalhando sementes em um terreno já liberado de outras espécies, destruídas durante a queimada.

Plâncton: Conjunto de organismos de tamanho muito reduzido que vivem em suspensão nas águas de lagos e mares. Os organismos de plâncton são na maior parte, minúsculos (menos de 1 mm), e incluem tipos larvais de animais maiores.

Planeta: Astro que gira em torno do sol, que recebe luz e calor. Curiosamente a palavra planeta significa “vagabundo” em grego, pois os antigos gregos que pesquisavam astronomia, notavam que os planetas mudavam sua posição constantemente, e achavam que eram corpos errantes.

Plastão: Nome que se dá para o casco da parte ventral dos jabutis, cágados e tartarugas.

Plástico: Um dos derivados do petróleo e considerado um dos maiores inventos do século XX. Seu uso mundial se intensificou a partir da década de 70. Seu nome deriva de algo que pode ser moldado, tomando qualquer forma desejada. Atualmente o plástico está em praticamente todos os setores, sendo desde o simples uso doméstico até em indústrias bélicas. Com vários tipos desenvolvidos, existe plástico que até substitui o metal. Em contrapartida, como lixo é hoje um dos itens mais numerosos, sendo preocupante onde leva mais de 500 anos para se deteriorar. Atualmente vem se intensificando a reciclagem do plástico, como também um substituto nos tipos que mais vão para o lixo, como as sacolas plásticas.

Plataforma continental: É a região que se estende desde a orla da praia permanentemente submersa até a profundidade de cerca de 200 m mar adentro. O seu limite oceânico é demarcado pelo talude continental. É considerado o ecossistema mais rico dos oceanos, pois a luz do sol consegue penetrar até 60 ou 70 m de profundidade, dependendo da transparência da água, sendo fundamental para o desenvolvimento da vida submarina. No Brasil vai até 200 milhas, ou 370 km e em torno das ilhas oceânicas.

Pluvial: Que diz respeito às águas das chuvas; pluviátil. Como exemplo, os bueiros são para captação de águas pluviais.

PNUMA: Programa das Nações Unidas para Meio Ambiente. Criada em 1.973 após a Conferência de Estocolmo. Tem como função, trabalhar em parceria com governos nacionais a fim de solucionar problemas ambientais, assim como coordenar em nível internacional as iniciativas implantadas do gênero.

Podador/pastador: Animal que se alimenta de ervas e ramos de plantas.

Poliandria: Sistema reprodutivo onde a fêmea se acasala com mais de um macho.

Poligamia: Sistema reprodutivo em que um dos sexos se acasala com vários parceiros.

Poliginia: Sistema reprodutivo onde o macho se acasala com mais de uma fêmea.

Polinizador: Animal responsável pelo transporte de grãos de pólen da parte masculina até a parte feminina da flor, promovendo a fecundação.

Poluição: Efeito de sujar, manchar, corromper, profanar, deslustrar. Pode-se manifestar em quase todos ambientes físicos e biológicos do planeta. Alem dos tipos mais conhecidos, ainda existem a sonora, visual, de interiores e ainda outros. Pesquisas recentes revelaram que os hipertensos são muito sensíveis à poluição atmosférica (em especial do monóxido de carbono), podendo levá-los até as mortes súbitas.

Pólvora: Substância explosiva, composta de salitre, carvão e enxofre. Inventado inicialmente para uso pacífico, acabou sendo importante item nos meios militares.

Pororoca: Nome que se dá no Brasil para grandes ondas que invadem rio acima, destruindo tudo que se encontra adiante e formando após sua passagem ondas menores.

Pradaria: Nome que se dá para as grandes planícies. Em muitos países quase sempre são restos de uma floresta destruída. Por vezes também, variação de um mesmo tema: savana na África, pampa na Argentina, cerrado de campos limpos no Brasil, estepe na Rússia e pradaria nos EUA.

Predador: Animal cujo alimento é obtido, primariamente, pela morte e consumo de animais.

Presa: Animal tomado pelo predador como alimento.

Primatas: Ordem de mamíferos que incluem os macacos, lêmures e társios.

Pupa: O estágio de “repouso” no ciclo vital de certos insetos, entre a fase de larva e a de adulto. A pupa de uma borboleta ou mariposa é conhecida popularmente como crisálida.

Quadrat: Ferramenta de pesquisa na forma de quadriculado vazado de madeira ou plástico. Bem usado por ecologistas que geralmente o utilizam num sistema de amostragem para realizar estudos necessários de uma determinada área. Esta ferramenta também é utilizada no meio submarino.

Quadrúpede: Que se sustenta e anda por quatro membros, como exemplo o cervo e a onça. Nos tempos bíblicos, era o termo dado para os mamíferos. Já os que andam sobre dois membros são os bípedes, como exemplo o próprio homem.

Quelônio: Nome que se dava para a ordem dos répteis que são os jabutis, cágados e tartarugas. Atualmente o termo que vem sendo mais usado é Testudinata.

Queratina: Do grego kéras, significando chifre. O mesmo que ceratina (forma mais aceitável). Escleroproteína que constitui a base da epiderme, pêlos e de todos os tecidos córneos. Presente nas unhas e nos chifres.

Queimada: Termo que se dá para o fogo quando se queima num dado local e se perde o controle. As ações do fogo nas florestas, existem por meios naturais e artificiais. As feitas pelo homem, existem desde a pré-história. As razões são quase sempre as mesmas, que são para dar lugar para a agricultura e pecuária.
O prejuízo ao meio ambiente é incalculável:
- Perda de várias árvores e até a extinção de várias espécies sem antes de serem conhecidas, classificadas e estudadas.
- Ameaça de extinção de várias espécies animais e diminuição destes.
- Desequilíbrio nos ecossistemas.
- Esterelidade do solo.
- Facilidade para surgimento de erosões.
- Secura de nascentes de rios e córregos.
100 mil km2 da Amazônia já foram destruídos para dar lugar aos interesses humanos.

Quilópode: (Chilopoda) Invertebrados da classe animal que incluem as lacraias e centopéias. O corpo é alongado e achatado e dividido em cabeça e tronco com inúmeras patas. Tem corpo longo, achatado, segmento; um único par de pernas articuladas por segmento; cabeça com longas antenas. As centopéias são as espécies que possuem o maior número de patas, que apesar do nome significar “cem pés” em latim, as lacraias e centopéias possuem entre 30 e 340 pares. Como os escorpiões, injetam veneno quando caçam suas presas, e se o homem é picado, seu veneno não é tão ativo ao homem. As maiores espécies chegam a 25 cm. Com 581 espécies pelo mundo.

Quilômetro: Unidade de comprimento equivalente a mil metros. Faz parte do sistema métrico decimal. Há autores que insistem no termo quiliômetro. A abreviatura desta unidade é km. Para cálculos de área de grandes extensões, é usado o km, como países, estados, municípios e áreas de preservação. Como exemplos, a área do município de Varginha – MG é de 421 km2, e o Parque Nacional da Canastra – MG possui 600 km2.

Quiosque: Pequena construção de madeira, onde como telhados se usam folhas secas, em especial de palmeiras. Bastante usado nas áreas litorâneas para se vender produtos para turistas ou para funcionar como um bar.

Quiróptero: Ordem de mamíferos que compreendem os morcegos, cujo termo significa “mão alada”. Divididos em várias famílias e numerosas espécies pelo mundo. O Brasil conta com 98 representantes.

Quitina: Substância química que confere dureza ao revestimento externo dos insetos e de outros artrópodes.

Radiação: Espécie de energia, como a luz, o calor, emitida sob a forma de ondas eletromagnéticas. Podem ser naturais ou artificiais. Os raios do sol ou os materiais radioativos naturais (como o urânio) e outras. A principal fonte de radiação nociva ao homem está na exposição de raios X (radiografias), muito mais significativa do qualquer outro tipo de radiação presente no cotidiano.

Raio: Os raios atmosféricos provem de uma descarga elétrica entre nuvens altamente carregadas em eletricidade de sinal contrário ao solo. O clarão observado é o relâmpago e o ruído que se lhe segue é o trovão. O Brasil está entre os países com maior incidência de queda de raios. Os cuidados que se deve tomar são: Não esconder da chuva sob árvores, apenas dentro de carros ou residências; Não ficar em contato com a água, como em piscinas; Dentro de casas, desconectar aparelhos elétricos em tomadas e não usar o telefone.

Raiz: Parte da planta que serve para fixação e retirada dos materiais necessários à sua nutrição. As raízes também influenciam diretamente a área imediatamente ao seu redor, chamada pelos ecologistas e botânicos como rizosfera ou o universo das raízes. Estas também atuam mecanicamente sobre o solo, fixando terrenos arenosos ou, pelo contrário penetrando nas fissuras das rochas calcárias, principalmente, e desintegrando-as, contribuindo para a formação do solo. Diz-se estolho, feixes de raízes que nascem, de distância em distância, nos rizomas e nas hastes das plantas rasteiras.

RAMSAR: Do francês rainure. Sulco ou incisura feito em madeira, material plástico ou metal. Também chamado de marcação de baixo relevo.

Ranhura: Do francês rainure. Sulco ou incisura feito em madeira, material plástico ou metal. Também chamado de marcação de baixo relevo.

Ravinamento: Erosão brutal que grava vários sulcos profundos e largos em solos sem cobertura vegetal. Essas ravinas são formadas por impressionantes torrentes de águas, que passam a escorrer entre elas com verdadeiros rios durante violentas tempestades, geralmente tropicais. Estas ravinas também podem ser encontradas em regiões de muita neve. Até mesmo as pistas de esqui das estações de inverno acabam abrindo ravinas de gelo que derretem durante o verão.

Razão sexual: Proporção entre o número de machos e fêmeas em uma população.

Reciclagem: Em resumo significa reaproveitar o que já existe e não devastar novamente o meio ambiente para a fabricação de novos produtos, reduzindo significativamente o impacto ambiental provocado pela ação do homem. No Japão, o reaproveitamento do lixo sólido chega a 50% e os EUA em 25%. No Brasil ainda não se teve o interesse necessário por parte das autoridades governamentais. Somente na reciclagem de latas de alumínio, o país vem se destacando. Dois tipos de plásticos foram elaborados especialmente para serem recicláveis que são o PET e o PEAD.

Recife: Rochedo no mar que é desde poucos centímetros até metros, quando vistos na superfície do mar. Geralmente presente em áreas rasas.

Recursos minerais: As rochas são formadas por diversas espécies de minerais, simples ou combinados. A maioria são dos minerais são formas de silicatos (compostos de oxigênio e sílica). Outras se formam em condições muito especiais, ao ponto de serem chamadas de pedras preciosas. Quando os minerais apresentam uma alta quantidade de metal em seu interior, são chamados de minérios, como ocorre com o ferro, mercúrio e o cobre. Os combustíveis fósseis também são considerados recursos minerais. Entretanto vários minerais com a exploração excessiva, estão entrando em processo de extinção, como o mercúrio, prata, estanho e flúor, onde estes estão com suas reservas esgotadas até 2.030.

Recursos naturais: Estes podem serem divididos em dois tipos básicos: Os não renováveis e os renováveis. Dentro da área dos renováveis estariam alguns dos recursos minerais como a água, solo e o biológicos como as florestas, pastos e os campos agriculturáveis. Também a biodiversidade animal, vegetal e recursos marinhos e todos estes na designação geral dos recursos genéticos. Apesar de serem renováveis, não significam necessariamente que sejam inesgotáveis.

Recursos hídricos: São os recursos de água para o homem em diversos fins. A grande maioria são as águas doces, junto das bacias hidrográficas. São elas que abastecem as cidades de todos os países. O desperdício de água, desmatamentos e ainda outros fatores, já estão fazendo faltar água e motivo de preocupação mundial.

Reflorestamento: Atividade que designa o restabelecimento de uma cobertura vegetal nativa de uma região. Restabelece a flora e fauna de um local. Já o termo Florestamento é o plantio de espécies exóticas, sendo os mais comuns o eucalipto e certos pinheiros. Acaba ficando como alternativa para a produção de papel e celulose, só que acaba não restabelecendo a fauna e a flora do local.

Refratário: Que resiste; Que suporta sem se alterar. As telhas feitas de amianto, são tidas como refratárias, onde suportam bem o calor.

Regeneração: Cada ecossistema possui uma taxa de regeneração. É diretamente proporcional à taxa de destruição. Altos índices de devastação significam chances quase nulas de recuperação, capacidade agravada de acordo com o tipo de ecossistema. Florestas são mais difíceis de se recuperar do que rios poluídos.

Região de transição: Área de contato entre diferentes ambientes.

Região zoogeográfica: Grande região que apresenta semelhança na composição de sua fauna.

Reintrodução de espécies: Este processo se deve, pelo fato do homem ter banida a espécie de seu habitat. Para a operação ser bem sucedida, é necessários recursos técnicos e científicos e também requer um estudo do comportamento (etologia) da espécie para que a readaptação tenha sucesso. No Brasil, trabalhos expressivos foram feitos com o manatim, tartaruga e mico-leão, onde da ararinha-azul ainda foi o único que não obteve retorno.

Relação filogenética: Interação entre a história evolutiva das espécies.

Relatório de Rasmussen: Foi um polêmico relatório sobre o uso pacífico da energia atômica publicado nos EUA em 1.974, do qual se levantava pela primeira vez, as estatísticas prováveis de um acidente nuclear no mundo. O relatório afirmava, com ingenuidade, que a maior parte da população seria evacuada, ordenadamente, menos de duas horas após alguma explosão. Chernobyl provou o contrário. Até 74 existiam mil usinas nucleares pelo mundo.

Relva: Conjunto de ervas rasteiras quase sempre gramíneas, que se desenvolvem espontaneamente nos campos e caminhos.

REM: Uma medida específica mede os efeitos biológicos das radiações ionizantes que é o que significa esta sigla. A radioatividade natural do planeta alcança por exemplo o índice de 0,2 rem por ano. A legislação internacional sobre o assunto estabelece o limite de 1,4 vezes este número, ou seja, 0,17 rem por ano. Com as poluições, este nível tem aumentado sobremaneira sendo o que acrescentaria de 5 mil a 7 mil mortos por câncer a mais do que o normal.

Repertório vocal: Conjunto de sons emitidos por uma espécie, promovendo a comunicação.

Reprodução: As espécies designam um valor variável de sua capacidade energética à sua reprodução. Os insetos como exemplo, dedicam grande parte de sua energia à reprodução, onde possuem um curto tempo de vida e numerosos descentes.

Réptil (ou réptil): Classe animal formado por vertebrados de sague frio, de corpo recoberto por couro, pele seca com escamas ou carapaça. Possuem curtos membros ou não, e por vezes se arrastam. Há espécies ovíparas ou ovovivíparas. Seus ovos são de gema desmesurada e casca coriácea. Ao todo são 6 mil espécies pelo mundo. O Brasil é o quarto país em número de representantes com 633 espécies.
Divididos nas ordens:
Testudinata (Testudynata): jabotis, cágados e tartarugas.
Crocodilianos (Crocodilia): jacarés (ou caimões), aligators, gaviais e crocodilos.
Escamados (Squamata): lagartos e cobras.

Reserva Biológica: Zona não perturbada por atividades humanas e características de espécies da flora e fauna de significado científico. Não é aberto para visitação pública. Até 1.992 o Brasil possuía 23 destas reservas.

Reserva da Biosfera: São reservas naturais criadas pelo programa MAB (Man and the Biosphere) da Unesco. A idéia básica desse programa é a criação de “museus vivos” do que melhor existe, em termos de natureza no planeta, como amostras dos principais ecossistemas de hoje preservados para as gerações futuras.

Reserva Florestal: Área extensa, não habitada, em estado natural, da qual não se dispõe de conhecimento e tecnologia para uso racional dos recursos.

Reservatório genético: Conjunto de genes existentes em determinada área.

Resíduos sólidos: Quase todo lixo acaba também tendo variados resíduos sólidos. A reciclagem neste caso vem ser uma importante alternativa para a redução destes, já que uma cidade como São Paulo descarta cerca de 12 mil toneladas diárias de lixo. Também reduziria a contaminação feita em rios e na atmosfera.

Restinga: Formação vegetal que revestem as areias litorâneas, desde o oceano até as primeiras encostas da Serra do mar. Esses depósitos de areias em forma de língua, fecham ou tendem a fechar uma reentrância mais ou menos extensa da costa. Um exemplo deste ecossistema é a restinga de Marambaia – RJ.

Rincão: Se diz lugar muito abrigado, cercado por matas e rios.

Rio: Curso de água doce que deságua noutro, num lago ou no mar. Quando o rio é pequeno se diz riacho. Leito (ou álveo) é canal por onde o rio corre normalmente. Por regulamentação, no Brasil, a mata ciliar que circunda o rio, deve ter um mínimo de 30 m. O maior rio do mundo em volume, é o Amazonas e o segundo o Orenoco que passa na Venezuela. Já em extensão é o Nilo na África. O diminutivo é rebeiro e quando este é pouco largo é ribeirão ou riacho.

Roça: Pequena área feita para cultivo de hortaliças e pequenas frutas. Se diz também para uma pequena área de mato baixo para ser cortado, e quando já foi feito, se diz roçado.

Roedores: Ordem de mamíferos que é a mais numerosa em espécies, com cerca da metade dos mamíferos existentes. São desde o camundongo até a capivara. O maior contingente está presente na América tropical.

Rostro: Parte da cabeça que forma o bico ou focinho pontudo de certos animais.

Rota: Percurso entre duas posições que já foi feito. Enquanto no rumo ainda será executado, na rota já foi feito. Ex: O avião fez a rota entre BH e RJ.

Rotação: Nome do movimento da Terra em torno de seu próprio eixo, no sentido de Oeste para Leste (ou Este), dando origem aos dias e noites. Já Translação ou Revolução é o movimento da Terra em torno do sol.

RPPN: Sigla para Reserva Particular do Patrimônio Natural. Área de preservação privada, que é geralmente criada por fazendeiros que desejam conservar áreas selvagens de sua propriedade.

Ruminantes: Subordem de mamíferos ungulados que possuem estômago dividido em quatro partes (pança, barrete, folhoso e coagulador), e às vezes três. Voltam então o alimento à boca para sofrer uma segunda mastigação mais completa. Por isso também são denominados poligástricos, que ao contrário dos monogástricos que possuem um só compartimento gástrico. São os bovídeos, cervídeos, tragulídeos, girafídeos e antilocaprídeos. Os camelídeos embora não classificados nesta subordem, são ruminantes, onde possuem estômago dividido em três partes. Cerca da metade das terras no mundo é ocupada com a criação destes ruminantes para corte, destacando os bovinos, ovinos e caprinos. Atualmente mais de 200 milhões de pessoas no mundo estão engajadas diretamente com a criação de ruminantes domésticos.

Rumo: Percurso entre duas localidades que ainda será feito. É também o ângulo que demonstra uma direção a ser seguida. Termo bastante usado em náutica e aeronáutica, onde antes de se fazer o trajeto, se traça na carta (mapa) para se saber o ângulo que será auxiliado pela bússola. Ex: O avião fará o rumo entre BH e RJ.

Rupestre: Que vive entre rochas. Ex. mocó

Rurícola: Pessoa que vive no meio rural.

Sacarose: Substância orgânica abundante no reino vegetal, dissolvida nos sucos das frutas e de outras partes das plantas, sendo particularmente notáveis e industrialmente importantes a cana-de-açúcar e a beterraba.

Salobra: São ecossistemas onde se misturam as águas doces e salgadas em quantidades variáveis. Influem na taxa de salinidade, as chuvas, as marés, ou a afluência dos rios. De uma hora para outra, a água salobra de mangues e estuários pode ficar hipersalgada com relação aos oceanos.

Saneamento: Se diz mais na purificação ou higienização da água, como também na instalação de esgotos. As águas contaminadas por impurezas e outros detritos, tem sido responsável pela morte de 180 crianças por hora no mundo, onde a doença principal tem sido a diarréia.

Saprófagos: São organismos que se alimentam de matéria orgânica não viva. Já os animais que absorvem a matéria em estado líquido, como as plantas, denominam-se saprófitos.

Saturnismo: É a contaminação por chumbo – o metal associado astrologicamente a Saturno, por isso o nome. O saturnismo pode ser mortal a longo prazo, traduzido por uma anemia resultante da intervenção direta na síntese da hemoglobina do sangue. As fumaças expelidas pelos veículos possuem uma quantidade considerável de chumbo que contamina as hortaliças que muitos plantam próximas de rodovias.

Savana: Ecossistema formado por vegetação aberta, com predomínio de gramíneas intercaladas de árvores ou arbustos, que ocorre em regiões de clima tropical. No Brasil, estudiosos indicam somente os campos de Roraima. Há outros que incluem o cerrado de “campos limpos”. Na Amazônia, muitas vezes são também trechos descontínuos de áreas abertas cercadas pela selva.

Savanícola: Espécie que vive nas savanas e cerrados. Ex: lobo-guará.

Sazonal: Relativo às estações do ano.

Sedentário: Aquele que não se desloca, permanece fixo.

Seiva: Fluído que contem açúcar e outras substâncias altamente energéticas produzidas por fotossíntese; é transportada desde as folhas por todas as partes de uma planta através dos dutos e floema.

Selvagem: Aquele que ocorre em seu ambiente natural.

Sensu lato: Expressão do latim, querendo dizer sentido amplo.

Serrapilheira: Camada superficial dos solos constituída de folhas, ramos e frutos caídos.

Sertão: O interior do meio rural e aqueles semi-selvagens.

Sexo: Conformação característica que distingue o macho da fêmea nos animais e nos vegetais.

Silvicultura: Cultivo de árvores florestais.

Silício: Elemento químico, metalóide. Deriva da sílica, que é um óxido de silício anidro natural. Por sua vez a sílica vem do quartzo, que é um cristal de rocha mineral constituído essencialmente de óxido de silícico cristalizado no sistema romboédrico. O silício hoje é de extrema importância para a indústria eletrônica, onde possui hoje grande valor.

Simbiose: Associação de dois seres vivos (especialmente vegetais) na qual há benefícios recíprocos; Vida em comum.

Simpatria: Ocorrência de duas ou mais espécies em uma mesma área geográfica. Ex: a onça e o jaguarundi, costumam ocorrerem juntos em mesmos ecossistemas.

Sinecológico: Ramo da ecologia que estuda as relações dentro das comunidades vegetais ou animais.

Sinonímia: Diferentes nomes já empregados para uma mesma espécie vegetal e animal, como também no tocante ao gênero e espécie. Ex: O puma é conhecido ainda por iaguapitá, cuguardo, painter e onça-parda.

Sintético: Algo feito de modo artificial. Atualmente vários itens fabricados são sintéticos derivados do petróleo.

Sintópicos: Organismos que ocorrem em uma mesma localidade.

Sistemática: Estudo dos sistemas de classificação dos seres vivos.

Sonda: Pruma ou objeto análago com que se determina ou observa a profundidade das águas, o interior de um objeto, estado de um órgão ou de um ferimento: Aparelho de perfuração do terreno para conhecimento do subsolo ou para abrir poços profundos. Tubo com o objetivo de fazer sondagens.

Status: Situação de uma espécie numa ordenação de graus de ameaça.

Studbook: Livro em que se registram nascimentos e filiações de algumas espécies animais criadas em condições de cativeiro.

Sub-bosque: Vegetação que cresce sob as árvores de uma floresta.

Subespécie: Unidade de classificação dos seres vivos em que se pode dividir uma espécie. O mesmo que raça. Ocupam áreas geográficas distintas. Como exemplo, duas das quatro subespécies da ema são: Rhea americana intermédia e Rhea americana albescens.

Tabaco: Gênero de plantas solanáceas, cujas folhas depois de preparadas, servem para fumar, cheirar ou mascar. Do tabaco que índios sul-americanos criaram o costume de fumar que foi copiado pelos colonizadores. Atualmente sabe-se que a fumaça liberada pelo cigarro, charuto e cachimbo possuem milhares de substâncias químicas onde boa parte são cancerígenas. No mundo todo se combate o tabaquismo (termo mais correto do que tabagismo) não só para extinguir os tabaquistas como também para prevenir as pessoas que respiram sem querer estas fumaças, os chamados fumantes passivos. O tabaco que é conhecido também por fumo, sua plantação é conhecida por fumicultura ou fumal.

TAMAR: ONG que significa “Tartaruga Marinha”, criada em 1.980 no trabalho de salvar melhor os filhotes de tartarugas que nidificam no Brasil, que são cinco espécies ao todo. Também é feito um trabalho de conscientização com as pessoas, assim como monitoramento dos exemplares adultos. As ameaças que surgiram não só no Brasil como em outros países, foi a ocupação das praias que as tartarugas desovam, as que são pescadas ou se prendem em redes e a poluição marinha. E agora com uma nova ameaça que é o aquecimento global. O Projeto TAMAR está junto do IBAMA, sendo reconhecido internacionalmente.

Taxa intrínseca de crescimento: Número de descendentes potenciais que uma população pode produzir em um dado período de tempo.

Taxa reprodutiva: Número de descendentes produzidos por um indivíduo em período de tempo.

Taxon (plural taxa): Unidade de classificação dos organismos, como exemplo, ordem, família, gênero e espécie.

Taxonomia: Estudo das regras, princípios e da prática da classificação dos organismos. Os estudiosos no assunto, são cerca de 6 mil no mundo. Um número considerado pouco, pelo número de espécies ainda por serem ainda descobertas, destacando no Brasil que possui 1/3 de plantas e animais do mundo.

Térmita: Inseto da ordem Isoptera. O mesmo que cupins.

Termômetro: Instrumento utilizado na medição de temperaturas. A escala mais usada é o Centígrado (ou Celsius). Há países que usam a escala Fahrenheit. A temperatura na Terra, cai na medida de 2 graus a cada 1.000 pés, de baixo para cima.

Temperatura: Estado de frio ou calor, de umidade ou secura de ar. Também está no corpo na forma de febre. O aquecimento global pode fazer subir a temperatura em até 5 graus até 2.100.

Terra: Planeta onde habitamos; Solo por onde se anda; Parte sólida da superfície do globo.

Terraplanagem: Ato de plainar o local, desterrando.

Terraplenagem: Ato de plainar o local, aterrando. Neste caso se faz um talude.

Terrícola: Animal que vive sobre o solo. O maior dos terrícolas é o elefante-africano que chega a um máximo de 10.800 kg.

Territorial: Espécie animal que defende um território.

Território: Área de habitat defendida por um animal contra a entrada de outros, geralmente da mesma espécie.

Topografia: Arte de representar no papel a configuração de uma porção de terreno com todos os acidentes o objetos que se encontrem à sua superfície. A pessoa especializada é o topógrafo e usa um instrumento chamado teodolito.

Tornado: Tempestade muito forte que também pode criar no litoral, fortes ondas. O mesmo que furacão. No oriente é conhecido por tufão.

Torrão: Pequena porção de terra; Terra que vem com as mudas.

Tóxico: Se diz que tem a propriedade de envenenar. São vários os itens tóxicos, destacando o próprio veneno e as fumaças.

Transgênicos: São organismos que, mediante técnicas de engenharia genética, contenham material genético de outros organismos. A geração de transgênicos visa à obtenção de características específicas por um organismo de interesse. A manipulação genética recombina características de um ou mais organismos de uma forma que provavelmente não aconteceria na natureza. Por exemplo, podem ser combinados os DNAs de animais e plantas. Atualmente existe um debate muito intenso, relacionado à inserção de alimentos geneticamente modificados (AGM) no mercado, que tem implicação direta na saúde humana. Os defensores dos transgênicos falam que podem ficar mais resistentes às pragas, aumentar na produção de alimentos e com isso até diminuir a fome. Mas a própria ciência não tem informação suficiente para isentar os transgênicos de efeitos colaterias negativos na delicada fisiologia humana. Ainda assim, já existem alguns países que já fazem cultivo ativo de transgênicos, como os EUA e China. O Brasil em 2.007 estava em terceiro lugar na produção dentre os países americanos.

Translocação: Transferência de um organismo ou um grupo de sua área original para outra.

Trófico: Referente à nutrição e transferência de energia.

Trópico: Paralelo geográfico que dista 23 graus e 27 minutos acima e abaixo do Equador, respectivamente. Ao norte chamado de Trópico de Câncer e ao sul de Trópico de Capricórnio. São regiões intertropicais.

Tsunami: Termo japonês que significa “onda de porto”. Uma onda ou uma série delas que ocorrem pertubações abruptas que deslocam verticalmente a coluna de água, como exemplo, um sismo, atividade vulcânica; Abrupto deslocamento de terras ou gelo devido ao impacto de um meteorito dentro ou perto do mar. Estas ondas podem serem fracas ou muito fortes, chegando até 30 m de altura, ocasionando por vezes grandes estragos. O tsunami é mais propenso no Pacífico.

Tufão: Ciclone de grande tamanho ocasionado por encontro de grandes tempestades. Pode ter variados tamanhos, tanto na altura como no diâmetro. Por onde passa faz grandes estragos. As mudanças climáticas que a humanidade vem causando, tem aumentado o número de tufões por todo o mundo. Também conhecido por tornado, que é um termo de origem inglesa. Furação, pode-se dizer que é uma versão menor de tufão. E tromba-d’água é quando o tufão se forma sobre o mar.

Usina nuclear: Uma opção no lugar das usinas termoelétricas, mas quando ocorrem problemas, costumam superar em muito nas suas vantagens. Quando ocorrem graves acidentes, os danos para com a natureza e para o próprio homem são incalculáveis. Só nos EUA já ocorrem 30 acidentes em estas usinas. Ficou famoso o acidente com vazamento radioativo na Rússia em 86 e com o césio em 87 no Brasil em Goiânia. Também produzem resíduos radioativos que para deteriorarem levam milhares de anos, e até hoje não se teve uma solução para eliminá-los. Até hoje, só enterram estes em barris em buracos construídos e protegidos por grossas camadas de concreto. Atualmente já se discute na viabilidade do investimento e mesmo continuidade destas usinas perigosas.

UICN: União Internacional para Conservação da Natureza – Sigla da organização internacional formada por governos, organizações não governamentais, instituições de pesquisas e agências de conservação, com o objetivo de promover e encorajar a proteção e uso sustentado dos recursos naturais.

Ungulígrados: Nome de uma ordem de mamíferos que possuem cascos. Dividido em duas subordens: Artiodátilos e Perissodátilos. Os Artiodátilos divididos por sua vez em ruminantes e não ruminantes. Estes animais também são chamados de ungulados. O nome deriva de úngula, que é o mesmo que unha.

Unidade de conservação: Espaço territorial instituído pelo poder público, com características naturais relevantes, com o objetivo de conservação dos recursos naturais.

Unidade de conservação de uso direto: É aquela caracterizada como área natural sob ocupação ou exploração humana que tem como objetivo compatibilizar, sob conceito de uso múltiplo e sustentável, a utilização e conservação dos recursos naturais. Enquadram-se nesta categoria a Reserva Extrativista, Área de Proteção Ambiental e Floresta Nacional.

Unidade de conservação de uso indireto: É aquela caracterizada pela proteção total dos recursos naturais, sendo permitida apenas a utilização da área para atividades de pesquisa e atividades de recreação e de educação ambiental em áreas selecionadas. Enquadram-se nesta categoria os Parques Nacionais, Reservas Biológicas e Estações Ecológicas.

Urbanismo: Teoria e ciência da construção. São nas cidades que concentram a maior parte da população mundial. Podem gerar variados problemas como os diversos tipos de poluição, que afetam o próprio homem.

Ursídeos: Família da ordem dos Carnívoros que são os ursos. São desde o urso-negro até o urso-polar. São os maiores representantes desta ordem.

Variedade genética: Variedade de genes existentes em uma população e entre populações.

Várzea: Terreno baixo e plano que margeia os rios e ribeirões. Na Amazônia são áreas que sofrem inundações periodicamente. Também chamado de várgea, varge, vargem e varja.

Vegetação de montanha: É uma vegetação que é dividida em níveis. Começa pela Floresta decídua nos contrafortes, Floresta de coníferas, Prado alpino, Tundra alpina e por último Campo de neve.

Verme: Qualquer animal que tem forma similar ao da minhoca. Também se diz que o animal tem forma de verme que é vermiforme.

Vertente: Declive de montanha por onde derivam as águas pluviais. Nome dado também para declive, encosta, ladeira e quebrada.

Vírus: Se diz atualmente que são agentes de doenças invisíveis ao microcóspio; Veneno bacteriano ou animal; Agente transmissor de doença. Algo que é causado por um vírus se diz que é virulento.

Viscoso: Significa algo que é pegajoso como o visco. O nome deriva de visco que é uma planta parasita. Já viscosidade é a qualidade que é viscoso, ou seja, a propriedade pela qual as partículas aderem reciprocamente. Mais dito para óleos, existe instrumento para medir a viscosidade dos fluídos que é o viscosímetro; Víscido; Visgueto; Glutinoso.

Viverrídeos: Família de mamíferos da ordem dos Carnívoros, cujo principal representante é o gineta. Esta família não está presente no continente americano.

Vocalização: Som emitido pelos animais, responsável pela transferência de informações entre indivíduos.

Voçoroca: Nome dado no Brasil, para a erosão resultante de desmatamentos, geralmente em bordas de rios. Quase sempre começando com o corte de um talude (parte lateral de um morro) para construção de estrada ou utilização de espaço. Também é um desmatamento que ocasiona uma “ferida” no solo que vai aumentando com a erosão em largura e profundidade. Dependendo da voçoroca extrema, chega a ser irreversível, podendo originar até desertificação. O plantio intensivo de árvores que recuperam áreas degradadas, em bordas de voçorocas, é tido como uma das alternativas de recuperação. Também conhecida por boçoroca, erosão acelerada e ravina.

Vulcão: Comunicação da superfície da Terra com um foco donde saem larvas, cinzas ou gases. Sua emissão de gases é chamada de fumarola.

WWF: Sigla que significa World Wildlife Fundation, que é uma fundação dedicada à vida selvagem mundial, em especial aquelas que mais estão ameaçadas de extinção. Com sede na Suíça, tem representantes na maior parte dos países. Uma de suas ações de destaque foi o empenho na preservação do panda na China, pelo tanto que seu logotipo acabou sendo este urso.

Xérico: Relativo a ambientes muito secos, com escassa precipitação.

Xerófito: Designativo de plantas que se dão bem nos terrenos e climas secos. Como exemplo a vegetação da caatinga.

Zona tampão: Faixa ao redor de uma área de preservação cuja finalidade é protegê-la das perturbações dos ambientes vizinhos.

Zoologia: Parte da história natural que estuda os animais. A pessoa versada no assunto é o zoólogo (ou zoologista).

Zoonose: Doença de animais transmitida ao homem em condições naturais, como exemplo a raiva.


Bibliografia: Coleção do dicionário de Ecologia da revista Terra.
Livro Vermelho dos Mamíferos Brasileiros Ameaçados de Extinção.
Dicionário do MEC.
Suplementos da natureza do jornal O Globo.
Síntese de Navegação aérea
Programas educativos na tv.

Tadeu Pinto Mendes

Parceiros

Ensino Superior na Fatec Internacional.
Promoção Imperdivel

 
Blog's
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Direitos reservados a AOMS.©