<%@LANGUAGE="JAVASCRIPT" CODEPAGE="1252"%> AOMS
Mapa do Site:
Colaboradores
 
 

Lobeira (Solanum lycocarpum=astroites=grandiflorum)


Legume selvagem da família Solanáceas, que é a mesma do tomate, jiló, jurubeba, berinjela, pimenta malagueta, dentre outras. Pode-se dizer que é o legume símbolo do cerrado brasileiro. Foi em 1.816 que foi estudada pela primeira vez, esta e outras plantas, por um francês que veio para o Brasil à pedido do governo português. É uma arvoreta com até 5 m de altura, galhos ramificados, copa arredondada e aberta. É planta recoberta com espinhos que se prolonga até mesmo nas folhas. Estas, são recobertas por tricomas (pelinhos). Floresce e frutifica na maior parte do ano. Essas flores são de cor lilás, com antera amarela. O legume é esférico, de cor verde, tendo até 20 cm de diâmetro, contendo polpa carnosa com mais de 100 sementes. Sua frutificação ocorre mais entre julho e janeiro e multiplica-se facilmente por suas sementes. Se distribui por todo bioma Cerrado sendo que aparece também em matas secundárias e outros locais muito alterados pelo homem. Rebrota facilmente após queimadas. É considerada espécie pioneira. A lobeira é alimento para espécies de aves, répteis e mamíferos, que são por sua vez seus disseminadores. Destacando o lobo-guará que chega a representar 50% de sua dieta alimentar, daí também o nome lobeira ser alusivo a este canídeo. Pelo tanto que lycocarpum significa "fruta-de-lobo". Apesar de ter fama de venenosa para o homem e o gado, na realidade não confere com a verdade, onde existem populações isoladas de rurícolas que usufruem do legume em doces, geléias e até em uso medicinal. Possui nutrientes como carboidrato, pequetina e vitamina C. No caso se usam suas folhas contra reumatismo, sendo flores e legume como tônico, contra asma, bronquite e gripe. Estudos recentes revelaram que serve como remédio também contra dores estomacais e até baixar o nível de diabete, no caso a casca da lobeira que baixa a glicose. Pesquisas também revelaram que pode ser usada como biodiesel. Encontrada nas áreas abertas de cerrado do nordeste até SP e menos frequente nas outras regiões. Também conhecida por fruta-de-lobo e berinjela-do-campo.

Parceiros

Ensino Superior na Fatec Internacional.
Promoção Imperdivel

 
Blog's
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Direitos reservados a AOMS.©