<%@LANGUAGE="JAVASCRIPT" CODEPAGE="1252"%> AOMS
Mapa do Site:
Colaboradores
 
 

Marreco-irerê (Dendrocygna viduata)


Na ordem dos Anseriformes são de aves semi-aquáticas de bom tamanho, pés palmados e ótimos voadores. Estas foram divididas em 4 famílias:
Anhimídeos: anhumas e tachãs - 2 gêneros e 3 espécies
Anseranatídeos: pato-ganso - 1 gênero e 1 espécie
Dendrocignídeos: patos e marrecos - 2 gêneros e 9 espécies.
Anatídeos: cisnes, gansos, mergansos, tadornas, patos marinhos, patos e marrecos - 40 gêneros e 146 espécies.
O irerê, é uma das várias espécies que ocorre no Brasil e talvez o mais conhecido e por ser pequeno, está na categoria de marreco. Possui cabeça num preto e branco, pescoço e garganta em cor canela e restante do corpo num pardo e ventre com finas listras em pardo e branco. Bico e pés pretos. Tem 44 cm sendo machos pouco menores que as fêmeas. Seu pio é o que lhe dá o nome. Se alimentam de quase tudo que encontram em pântanos, como folhas, insetos, vermes e anfíbios. Para procurarem seu seus alimentos, costumam fazer como seus parentes, mergulhando a metade do seu corpo e ficando flutuando a parte traseira. Seus ninhos são feitos em árvores baixas, sempre próximas à água. São velozes no vôo, podendo fazer 80 km/h e costumam fazer círculos antes de pousarem e ficam piando ao mesmo tempo. Os bandos são mais ativos no fim do dia, onde voam juntos na procura de alagados. Seu ecossistema de preferência são o pantanal e campo alagado. Está na categoria de "pato arborícola" pois aprecia se empoleirar em árvores. Na natureza, tem seus inimigos, onde em lagos podem serem caçadas por sucuris, jacarés e lontras que as capturam de baixo para cima. Ocorre por todo Brasil, incluindo Argentina, Bolívia e Uruguai. Embora não ameaçado de extinção, a caça depredatória sobre o irerê e seus parentes ainda persiste, e zoológicos como o de São Paulo, fazem um trabalho de acompanhamento da espécie nas suas migrações, onde saem e pousam em seus lagos. É comum ver bandos em vôo noturno por sobre pequenas e grandes cidades. O Parque Nacional do Iguaçu - PR, é uma das áreas onde esta ave aquática pode ser encontrada. Também conhecida por marreca-piadeira, paturi, viuvinha, assoviadeira, chega-e-vira, marreca-apaí, marreca-do-Pará e marreca-viúva.
A maior espécie de pato selvagem do Brasil é o pato-do-mato-grande que curiosamente foi o único animal nativo do país que foi domesticado desde os tempos da colonização, já que todos os animais presentes no Brasil de corte ou não, tanto no meio rural como nas cidades, são oriundos de outros continentes.
O cormorão-biguá presente nos rios do país, apesar de aparentar um pato, pertence a uma família distinta.
Em anexo o marreco-irerê e o pato-do-mato-grande.

São duas as famílias da ordem Anseriformes presentes no Brasil tem como maiores representantes dos Anatídeos, o cisne-de-pescoço-preto com 120 cm e o pato-do-mato-grande com 85 cm. O menor sendo o marreco-de-cabeça-preta com 36 cm.
Já dos Dendrocignídeos, o maior sendo o marreco-caboclo com 48 cm e o menor o marreco-irerê com 44 cm.
- Anatídeos:
- cisne-do-pescoço-preto (Cygnus melancoryphus) : RS.
- cisne-capororoca (Coscoroba coscoroba) : RS.
- pato-do-mato-grande ou picaço (Cairina moschata) : Todo o país.
- pato-de-crita ou putrião (Sarkidiornis melanotos) : Todo o país.
- marreca-parda (Anas georgica) : RR e RS.
- marrecão (Netta peposaca) : SC e RS.
- pato-mergulhão (Mergus octosetaceus) : Partes de GO, MG e MS.
- marreco-oveiro (Anas sibilatrix) : RS.
- marreco-bico-de-colher (Anas platalea) : MS e RS.
- marreco-ananaí ou asa-de-seca (Amazonetta brasiliensis) : Todo o país.
- marreco-colorado (Anas cyanoptera) : RS.
- marreco-cricri ou carijó (Anas versicolor) : MS, SC e RS.
- marreco-pintado ou assobiadeira (Anas flavirostris) : RS.
- marreco-de-rabo-duro (Oxyura vittata) : RS.
- marreco-de-asa-azul ou sará (Anas discors) : RR até norte do PA.
- marreco-tururu ou de bico-roxo (Oxyura dominica) : Todo o país, exceto região norte.
- marreco-toicinho (Anas bahamensis) : Litoral do AP até RJ e RS.
- marreco-de-cabeça-preta (Heteronetta atricapilla) : PR até RS.

- Dendrocignídeos:
- marreco-caboclo (Dendrocygna autumnalis) : Todo o país.
- marreco-caneleira ou peba (Dendrocygna bicolor) : Todo o país, exceto região norte.
- marreco-irerê ou piadeira (Dendrocygna viduata) : Todo o país.

Fotos

Parceiros

Ensino Superior na Fatec Internacional.
Promoção Imperdivel

 
Blog's
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Direitos reservados a AOMS.©